Últimas postagens

Ebola seria uma doença comparável a AIDS?

Ebola seria uma doença comparável a AIDS?

ebola-virus

A mais recente epidemia do vírus Ebola tem aparecido nas primeiras páginas dos jornais e noticiários e está a gerar alguma apreensão na opinião pública. É por isso necessário analisarmos com frieza os fatos sobre a epidemia.

Esta é uma infecção com uma elevada taxa de mortalidade, que pode ir de 60% até 90% e essa será porventura a principal razão para ser tão temida. A rapidez com que passa de sintomas ligeiros até hemorragias generalizadas que levam à morte também faz com que seja uma infecção que causa grandes receios.

Mas neste aspecto, as infecções com longos períodos de incubação como é o caso do vírus HIV podem ser mais temíveis em termos de saúde pública pelo maior potencial de serem transmitidas. Também a este respeito o Ebola não é por acaso tão temível como a gripe, por exemplo já que não se transmite por via aérea mas sim por contato com fluídos de doentes .

Um dos grandes obstáculos ao controle das epidemias em geral e em particular desta, é a falta de informação que é comum nos países africanos mais atingidos. Com elevadas taxas de analfabetismo não é fácil educar as populações para evitarem comportamentos de risco.

Há também muitas crenças que não são baseadas em fatos científicos, além de desconfiança que leva a que por vezes se escondam os casos de infecção. Aliado a tudo isto há claro o problema de falta de instalações de saúde preparadas para tratar de um crescente número de casos, além de recursos limitados no que diz respeito a equipamentos de proteção que assumem neste caso uma importância vital para os médicos e enfermeiros que lidam com os doentes.Ebola

Podemos dizer, por isso, que à semelhança de outras infecções, o baixo desenvolvimento de um país faz com que seja mais vulnerável.

No entanto, esta epidemia está a por de prevenção também os países desenvolvidos já que na sociedade globalizada em que vivemos com rotas de avião a ligarem em poucas horas diferentes continentes, há um potencial grande de transmissão de qualquer infecção.

É por isso provável que alguns casos possam aparecer noutros países, tendo tido origem em pessoas que se deslocam de avião, mas deverá ser possível nesses países conter a infecção se for evitado o contato com o doente e se quem presta cuidados de saúde estiver devidamente preparado e informado.

Quanto aos países africanos afetados é esperado que a infecção possa vir a ser controlada tal como aconteceu noutras epidemias anteriores, embora deva ainda causar bastantes vítimas.

No entanto, com a desflorestação e o contato mais próximo das populações com animais selvagens que constituem o reservatório natural do vírus, poderemos assistir a epidemias mais frequentes, não só de Ebola mas também de outros vírus letais.

 OMS espera que uma vacina preventiva esteja disponível em 2015

Uma vacina preventiva contra o Ebola deverá passar à fase de ensaios clínicos em setembro e poderá estar disponível em 2015, disse o diretor do Departamento de Vacinas e Imunização da Organização Mundial de Saúde (OMS) à rádio francesa RFI.

Segundo o responsável, em setembro devem avançar os ensaios clínico da vacina que está a ser desenvolvida no laboratório britânico GSK, primeiro nos Estados Unidos e depois num país africano, uma vez que é em países do continente Africano que têm surgido casos.

Jean-Marie Okwo Bele disse que ,no final do ano já se pode «obter resultados» e que, se esses testes forem bem sucedidos, poderá ser comercializada a vacina ainda durante o próximo ano.

Como é uma emergência, podemos colocar em prática procedimentos de emergência para que em 2015 possamos dispor de uma vacina, acrescentou o diretor do Departamento de Vacinas e Imunização da OMS, numa entrevista que será hoje divulgada na íntegra ao final da tarde.

De momento, não há tratamento específico no mercado para tratar ou prevenir a febre hemorrágica Ebola causada por um vírus que mata em poucos dias. A taxa de letalidade (relação entre o número de casos e mortes) é superior a 50%.

Várias vacinas estão sendo testadas, enquanto um tratamento promissor, ZMapp, foi o primeiro a ser testado em norte-americanos infectados em África depois de bons resultados em macacos.

Ciência Hoje

Vida Interior

Pela primeira vez doença de Alzheimer é revertida em pacientes

A doença de Alzheimer foi revertida pela primeira vez. Uma equipe de investigadores canadianos, da Universidade de Toronto, liderada por Andres Lozano, usou uma técnica de estimulação cerebral profunda, diretamente no cérebro de seis pacientes, conseguindo travar a doença há agora já mais de um ano.

Em dois destes pacientes, a deterioração da área do cérebro associada à memória não só parou de encolher como voltou a crescer. Nos outros quatro, o processo de deterioração parou por completo.

Nos portadores de Alzheimer, a região do hipocampo é uma das primeiras a encolher. O centro de memória funciona nessa área cerebral, convertendo as memórias de curto prazo em memórias de longo prazo. Sendo assim, a degradação do hipocampo revela alguns dos primeiros sintomas da doença, como a perda de memória e a desorientação.

Imagens cerebrais revelam que o lobo temporal, onde está o hipocampo e o cingulado posterior, usam menos glicose do que o normal, sugerindo que estão desligadas e ambas têm um papel importante na memória.

Para tentar reverter esse quadro degenerativo, Lozano e sua equipe recorreram à estimulação cerebral – enviar impulsos elétricos para o cérebro através de eletrodos implantados.cérebro humano

 O grupo instalou os dispositivos perto do fórnix – um aglomerado de neurônios que enviam sinais para o hipocampo – dos pacientes diagnosticados com Alzheimer há pelo menos um ano. Os investigadores aplicaram pequenos impulsos elétricos 130 vezes por segundo.

 Testes realizados um ano depois mostram que a redução da glicose foi revertida nas seis pessoas. Esta descoberta pode levar a novos caminhos para tratamentos de Alzheimer, uma vez que é a primeira vez que foi revertida.

 Os cientistas admitem, no entanto, que a técnica ainda não é conclusiva e que necessita de mais investigação. A equipe vai agora iniciar um novo teste que envolve 50 pessoas.

Mal de Alzheimer

 Existem vários tipos de demência, em que há decréscimo das capacidades de funcionalidade, comprometimento das funções cognitivas – atenção, percepção, memória, raciocínio, pensamento, linguagem etc. – e da capacidade físico-espacial.

O Mal ou Doença de Alzheimer é a principal causa de demência que causa problemas de memória, pensamento e comportamento. A doença é responsável por 50% a 80% dos casos de demência no mundo.

O Alzheimer é degenerativo, mais comum após os 65 anos de idade e caracteriza-se pela perda progressiva de células neurais. A médica Sonia Brucki, do Departamento Científico de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia, explica que há um acúmulo anômalo de algumas proteínas no tecido cerebral que provoca a morte dos neurônios.

“Até agora se acredita que isso seja multifatorial, causado por componente genético, fatores externos (baixa escolaridade, por exemplo), alterações vasculares (hipertensão, diabetes etc.), traumatismos cranianos com perda de consciência, alterações nutricionais e depressão”, enumera. Outros problemas podem causar demências, por exemplo, déficit de vitaminas, doenças da tireóide, alterações renais, portanto doenças que podem ser evitadas.

Atualmente, não existe medicação disponível para evitar esse acúmulo de proteínas, mas há medicamentos que retardam a progressão do Alzheimer. Algumas medicações, fornecidas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), aumentam uma substância no cérebro que, em menor quantidade, traz alterações na memória.

Os sintomas geralmente são desenvolvidos lentamente e pioram com o tempo. Alguns pacientes conseguem ter uma redução progressiva da doença, mas outros não conseguem voltar à normalidade. Em casos mais graves, o paciente pode ter apatia, depressão, alucinação e pensamentos delirantes.

O médico neurologista Fábio Henrique de Gobbi Porto diz que o principal sintoma é a dificuldade de aprender coisas novas. O idoso não consegue se lembrar de fatos recentes como, por exemplo, o dia da semana. Tem também dificuldade para fazer contas.

Segundo ele, na fase inicial, o paciente pode ser lembrado de informações importantes e ter o suporte da família. Na fase moderada, tem uma dependência maior da família e, às vezes, existe mudança do comportamento. Na fase mais grave, tem dificuldade para realizar funções básicas, como urinar, dificuldade para engolir e até agressividade. A fase mais grave dura em média oito anos.

A família precisa ficar atenta a qualquer decréscimo de qualquer capacidade da pessoa, seja memória, dificuldade de realizar tarefas complexas, nomear coisas, problemas de linguagem. “Nem sempre começa com problemas de memória”, alerta Brucki.

Ainda não existe cura para o Mal de Alzheimer, mas alguns estudos testam medicações que poderiam estacionar a doença. De acordo com o neurologista Fábio Henrique de Gobbi Porto, já foi provado cientificamente que a escolaridade, principalmente na fase mais básica, é um fator protetor contra o Alzheimer.

Além disso, a prática de exercícios físicos e uma dieta saudável previnem a doença. “Algumas teorias dizem que a atividade física aumenta o fluxo sanguíneo no cérebro, aumenta a lavagem (retirada) da proteína do Alzheimer que se acumula no cérebro, além de melhorar o humor e a saúde em geral”, explica.

Brasil em pauta

Jason Mraz - Living In The Moment ( Vivendo O Momento)

   

   Jason Mraz – Living In The Moment ( Vivendo O Momento)

Tradução

Se esta vida é um ato

Por que colocamos todas essas armadilhas?

As colocamos bem no nosso caminho

Quando só queremos ser livres

Não vou perder meus dias

Criando todos os jeitos

De me preocupar com todas as coisas

Que não irão acontecer comigo

Então deixo pra lá o que sei e não sei Ver a postagem COMPLETA »

Dicas e cuidados para a prática do Impact Play (Gor/BDSM)

Impact play é uma área de atividades no BDSM, mais ligadas ao SM, mas também intimamente ligadas ao Bondage, à Disciplina e à D/S. Consiste no ato do Top atingir o bottom com as mãos, acessórios específicos ou até mesmo objetos improvisados, como mãos, luvas, réguas, escovas de cabelo, paddles, palmatórias, canes (varas ou bengalas), talas, chibatas, açoites, cintos, chicotes, cordas, sapatos, chinelos, jornais e revistas enrolados ou basicamente qualquer coisa que se possa imaginar que cause impacto ao atingir.

spanking

Envolve basicamente 6 áreas mais comuns, definidas basicamente pelo instrumento – ou a falta dele:

Spanking – Paddling – Caning – Whipping – Flogging – Cropping

Spanking -Termo generalista, mas cuja essência consiste, geralmente, em aplicar golpes com as mãos (nuas ou com luvas), braços e  em casos mais raros e extremos, pés e pernas. O termo será utilizado daqui pra frente no lugar de Impact play, por uso comum.

Paddling- Impact play onde são adotados objetos planos como Paddles, palmatórias, talas, partes côncavas e convexas de colheres de pau, tábuas de carne, réguas, chinelos e sapatos.

Caning- Consiste na utilização de objetos compridos e finos de rigidez média a alta, como varas, bengalas, bambus, cabos de utensílios domésticos, canos, tubos, vergalho de boi, etc.

Whipping- Consiste no uso de chicotes de tira simples. Os mais comuns são os bullwhips (chicote do Indiana Jones), Dragon tails, Dragon tongues, cordas e chicotes de adestramento equestres.

Flogging- Semelhante ao whipping, diz respeito à utilização de instrumentos mais longos e flexíveis, porém, neste caso, com muitas tiras. Trata-se de açoites e rebengues, podendo estes ser feitos de couro, tecido, cordas, fios, arame, borracha ou qualquer material que permita o uso.

CroppingEsta é a definição menos usada, e bastante confundida com o Paddling. No entanto, esta é definida pelo uso exclusivo de chibatas equestres. São, a grosso modo, uma vara entre 50cm e 80cm – de fibra, bambu, ou qualquer material ligeiramente flexível, porém extremamente fino – e uma tira de couro dobrada ou esticada na ponta.

COMO PRATICAR?

Instrumentos

Para a prática, podem ser utilizados quaisquer um dos intrumentos citados acima, ou apenas as mãos nuas. Ver a postagem COMPLETA »

A Kajira é assim - Ela se perdeu livre

kaji

A kajira é assim porque nasceu com a marca. A cultura pode ter levado a caminhos diversos, mas dentro dela alguma coisa gritava. Enquanto crescia em lar comum, criada por pais em nível de igualdade, dentro dela alguma coisa gemia. Sem limites cresceu, sem castigos, restrições… Dentro dela alguma coisa implorava.

A kajira adolesceu livre, e conheceu amores livres, e se perdeu livre. Dentro dela alguma coisa esperava. E então, em algum ponto do caminho ela o encontrou. Dentro dela alguma coisa renascia. Ele a tocou suavemente, e alguma coisa suspirava. Ele a prendeu completamente, e alguma coisa sorria.

Restrita, entregue, subjulgada, consciente de sua dependência. Ela sabia que não mais seria dona de si. Ela sabia que não mais assumiria o lugar que era dele. Não seria mais modelo de força pras amigas. Não seria mais a imagem da autossuficiência emocional. Seria vergonha para as feministas. Escárnio para os intelectuais. Alvo da pena dos solidários.

Também sabia que seria pela primeira vez ela mesma. E isso era o suficiente. Afinal, quando ele a entregou sua coleira e a chamou de sua, dentro dela alguma coisa simplesmente calou-se, e ela pode então dormir tranquila

tavi

Fonte: Kajira

ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) / Desafio do balde de Gelo. O que eles tem em comum?

É muito fácil criticar as pessoas nos dias de hoje, principalmente em um mundo cheios de falsários, você não sabe em quem acreditar , quando aparece algo ou alguém que te fale a verdade ou que te peça ajuda pra alguma campanha , ou até mesmo uma divulgação em pró a qualquer assunto relacionado a AJUDAR AO PRÓXIMO, acabamos nós mesmo sendo ridículos o bastante para criticar , cruzar os braços e não fazer nada.

Antes de apontar alguém ou alguma coisa, pesquisem vejam a veracidade da divulgação ou da campanha e saibam o que acontece por trás de tanta coisa.

Há algumas semanas atrás se tornou viral na net e em TVs do mundo inteiro, vídeos onde artistas derrubavam um balde de gelo em cima deles mesmo, mas você já foi pesquisar e saber detalhes de o porquê desse ato, antes de dizer QUE RIDÍCULO?

Muitos de você não devem saber que esse ato de artistas a pessoas comuns é uma campanha para arrecadar fundos para uma ONG (Organização não governamental), que combate a ELA ( Esclerose Lateral Amiotrófica Vocês sabem o que é isso?

ELA ( Esclerose Lateral Amiotrófica):

A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é provocada pela degeneração progressiva no primeiro neurônio motor superior no cérebro e no segundo neurônio motor inferior na medula espinhal. Esses neurônios são células nervosas especializadas que, ao perderem a capacidade de transmitir os impulsos nervosos, dão origem à doença.

Ver a postagem COMPLETA »

Copyright © 2010 Black Angels, webdesign por RickReymond Limondi