Turismo na China e Mongólia pela ferrovia Transiberiana.

03 ago 2010 | By

De um lado, Pequim, o ícone maior da superpotência China. Do outro, Ulan Bator, a capital e porta de entrada para  os cenários mágicos da Mongólia.

Entre elas, um dos trechos mais concorridos da mítica Ferrovia Transiberiana.

  • PEQUIM – PASSEIOS IMPERDÍVEIS ANTES DO EMBARQUE.

Madrugar na Grande Muralha, (Badaling; US$6,50) e ter a principal atração da China só para você, às 6 horas. Um taxi cobra cerca de US$90 pela ida e pela volta.

Perder-se pelos 8.700 comodos da Cidade Proibida (US$ 9), o complexo de palácios que abrigou as dinastias Qing e Ming, até a queda do último imperador, em 1911, aos pés da Praça da Paz Celestial.

Flanar nos jardins e templos do Palácio de Verão (US$ 9).

Assistir a um espetáculo de acrobacias no Teatro Chaoayang (bjcyjc.com), desde US$ 40 e ver que os chineses parecem mesmo de borracha.

Ir a uma tradicional ópera de Pequim no Teatro Lyuan (Hotel Qianmen Jianguo, quianmenhotel.com; desde US$ 30.

Visitar o Templo do Céu  (US$7) do século 15.

Ver de perto o melhor do legado das Olimpíadas de 2008 no Parque Olímpico.

Comer o melhor pato de Pequim, no Da Dong.

Vasculhar as quinquilharias do Mercado de Panjiayuan, em Chayang.

Mergulhar no moderno Factory 798 (798space.com; grátis) um complexo de galerias de arte e ateliês.

  • MONGÓLIA

ULAN BATOR.

PROGRAMAS PERFEITOS DEPOIS DO DESEMBARQUE.

Passar uns dias com os nômades. Na Mongólia, as familias mais radicais chegam a mudar quatro vezes por ano, uma a cada estação, em busca de pastos para os animais. A agência Ger to Ger (gertoger.org) organiza viagens em qu é possível viver com e como os nômades, nas típicas barracas brancas e redondas, pelo interior.

Festejar o Naadam.

A festa mais típicas da Mongólia é comemorada da mesma forma desde os tempos de Gêngis Khan, com três modalidades esportivas: luta, arco e flecha e corrida de cavalos. Ocorre durante dois dias de julho, geralmente 11 e 12 de julho.

Explorar o lendário Deserto de Gobi.

O maior deserto da Àsia, é uma imensidão de areia e pedra que ocupa uma área de 1,3 milhão de metros quadrados. Nada mais autêntico do que percorrê-lo  a bordo de um UAZ 469, o bravo 4×4 de origem russa. Agências como a Tseren Tours (tserentours.com) organizam expedições sob medida.

Andar a cavalo pelas belas estepes e pradarias.

Não existe programa mais típico. A média da Mongólia é de 13 cavalos para cada habitante, e muitas famílias nômades e ger camps do interior alugam os animais ( e também camelos) para passeios de um dia.

Fonte revista  Viagem e Turismo – guia 4 rodas.
Por Rachel Verano.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: