Dicas para o estresse e a ansiedade bem longe neste Natal

19 dez 2010 | By

Estabelecer objetivos e ter flexibilidade de horários ajudam a relaxar

Chegou o fim do ano. Natal, reveillon, amigo secreto, presentes e mais presentes, a ceia, a roupa, a viagem e as contas que vão chegar em 2011.
Nesta época ficamos num estado de euforia, em que tudo precisa ser resolvido, geralmente na última hora. Temos que encontrar tempo para tudo, mas o trânsito está infernal, não há vaga no estacionamento, as lojas estão cheias…
Esse estado gera ansiedade. O estresse é uma ocorrência fisiológica normal, uma atitude biológica produtiva e necessária à adaptação do organismo a uma nova situação, algo percebido como uma ameaça. Desta forma, é um mecanismo indispensável à sobrevivência.
Do ponto de vista psíquico, o estresse se traduz na ansiedade. Embora a ansiedade favoreça o desenvolvimento e a adaptação, ela o faz somente até certo ponto, só até o nosso organismo atingir um máximo de eficiência. Quando sentimos ansiedade em excesso, ao invés de contribuir para a adaptação, ela fará exatamente para o contrário. Ou seja, para a falência da capacidade adaptativa.
O estresse só se torna patológico (uma doença) quando se torna um estado de ansiedade que faz mal à pessoa. Se você fica ansioso, afobado, com falta de ar, palpitação, suor frio nas mãos, fazendo mil coisas ao mesmo tempo e não consegue terminar quase nada, então você saiu da faixa normal do estresse.
A permanência do estado de estresse desencadeia várias reações físicas e psicológicas, gerando um estresse negativo ou improdutivo. Com o tempo o organismo tenta se adaptar ao próprio estresse e acaba minimizando os sinais de alarme (o estresse passa a ser normal), mas no futuro surgirão doenças, consequentes à manutenção deste estado.
Pare um pouco para pensar, sempre que se sentir ansioso.
Sinal de alarme 1
Transpiração nas mãos, dores nas costas e pescoço, respiração acelerada, taquicardia, azia, diminuição ou exagero do apetite, perda de interesse, mal estar indefinido, insônia, despertar por volta das 4 h, cansaço e diminuição da libido.
Sinal de alarme 2
Diminuição da memória, hipertensão arterial, resfriados frequentes, úlcera gastroduodenal, colite, problemas de pele, angústia existencial, irritabilidade e ansiedade exagerada.
Algumas dicas para diminuir a rotina estressante
– Não competir compulsivamente;
– Ser menos crítico;
– Estabelecer objetivos realistas e crescer passo a passo;
– Ter flexibilidade para mudar as estratégias e prazos;
– Não brigar com o relógio;
– Relaxar sem sentir culpa;
– Manter atividades físicas e lazer.
Pare um pouco para pensar, sempre que se sentir ansioso. Reflita em cada situação, por exemplo:
Tenho hora marcada, mas o trânsito está ruim. Posso mudar a situação e sair voando? Não! Então ligue para a pessoa e avise que não chegará na hora combinada. Aumente o som do rádio e viaje com a música.
Tenho que comprar vários presentes e estou aflito com o tempo. Tente resolver tudo em lugares próximos, onde possa ir a pé, por exemplo.
Quero uma TV LCD. Pergunte-se: realmente preciso dela? Tenho dinheiro para comprar à vista? Este dinheiro irá me fazer falta em 2011? Pense em outros gastos como a viagem de férias, as compras com cartões, a matrícula da escola, uniforme, livros. Resumindo, se não puder comprar, planeje a compra para os próximos meses e relaxe.
Tanto a homeopatia quanto a alopatia têm remédios para diminuir o estresse e controlar a ansiedade, mas o ideal é que você não precise deles. Saboreie o que tem e não sofra por aquilo que ainda não possui. Podemos perceber também que muito da ansiedade improdutiva ou negativa está relacionada com o tempo. Então tenha tempo:
– Para o que é importante para você;
– Para aquilo que faz você mais feliz;
– Para estar com aqueles que você ama;
– Para olhar em volta e ver toda a felicidade que o mundo pode lhe oferecer.
Tudo isso é seu, se você apenas tiver tempo.
Fonte: Yahoo Beleza a Saúde
Edição: Linda Rosenstar
Equipe Black Angel

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: