Sede de Sangue †

25 jul 2010 | By

Bebida imortal,
Água para o meu corpo.
Aplaca minha sede imoral
Mantêm-me para prosseguir a vigem intemporal.
Profecia perdida,
No canto tribal.
Dança dos mortos.
Amontoamento de corpos,
Surgem ao meu redor.
Acabada a refeição,
Prossegue-se para a próxima nação.
Aldeias destruídas,
Vidas perdidas.
Ossos queimados em piras,
Vidas ceifadas,
Tudo por minha sede.
Monstro eu sou,
Ser da Noite e Escuridão.
Minhas ações não têm perdão.
Tu que me transformaste,
Porque me abandonaste?
Juntos, uns impérios criaríamos.
Vidas más retiraríamos,
E iríamos saciar nossa sede.
A viajem em que embarquei,
Agora prosseguirei.
Não sofro pelo meu objetivo,
Nem por aquilo que me tornei.
Vampira eu sou,
E para sempre serei.
Meu destino,
Finalmente eu encontrei.

Autor: Desconhecido

3 comentários em “Sede de Sangue †

  1. Elvira SLNo Gravatar disse:

    Gostei das letrinhas pingando sangue! Bem criativas!

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.. a sede é tanta que as letras estão babando rsrsrrsrs……

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: