Solidão final

29 jun 2011 | By

Solidão final

Solidão chega lentamente

invade pensamentos, toma conta da gente

não se mede, não se toca,

Só se sente.

Não se sabe o porque,

não encontramos palavras.

Vamos e voltamos e o peito está vazio,

nosso grito está mudo, nossas mãos vazias.

Uma dor crucial dilacera a alma, a busca é inútil,

negra como noite fria.

O olhar se perde e nada se  encontra.

A lágrima é a única saída, companheira eterna da alma.

De volta ao começo.

Ser só

sem mais despedida

aguardar serenamente

o final da vida.

Autor: Rick Reymond

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: