Curiosidades sobre o sangue

27 out 2011 | By

– A auto-hemoterapia, ciência que estuda o tratamento de doenças utilizando o sangue, sempre ocupou um espaço entre o científico e o místico. Os gregos conheciam o sangue como sustentáculo da vida.

– As primeiras transfusões de sangue foram realizadas em animais no século XVII por Richard Lower, em Oxford, no ano de 1665.

– A história de uma transfusão sanguínea foi descrita no século XV pelo escritor italiano Stefano Infessura. Infessura relatou que, em 1492, quando o Papa Inocêncio VIII estava em coma, e o sangue de três rapazes foi infundido no agonizante pontífice, por sugestão de um médico. Entretanto, não somente o papa morreu, mas também as três crianças.

– Em 1788, Pontick e Landois, obtiveram resultados positivos realizando transfusões homólogas, chegando à conclusão de que poderiam ser benéficas e salvar vidas. A primeira transfusão com sangue humano é atribuída a James Blundell, em 1818, que após realizar com sucesso experimentos em animais, transfundiu mulheres com hemorragias pós-parto.

– No final do século XIX, problemas com a coagulação do sangue e reações adversas continuavam a desafiar os cientistas.

– Em 1869, foram iniciadas tentativas para se encontrar um anticoagulante atóxico, culminando com a recomendação pelo uso de fosfato de sódio, por Braxton Hicks. Simultaneamente desenvolviam-se equipamentos destinados a realização de transfusões indiretas, bem como técnicas cirúrgicas para transfusões diretas, ficando esses procedimentos conhecidos como transfusões braço a braço.

– Em 1901, o imunologista austríaco Karl Landsteiner descreveu os principais tipos de células vermelhas: A, B, O e mais tarde a AB. Como conseqüência dessa descoberta, tornou-se possível estabelecer quais eram os tipos de células vermelhas compatíveis e que não causariam reações desastrosas, culminado com a morte do receptor.

– A primeira transfusão precedida da realização de provas de compatibilidade, foi realizada em 1907, por Reuben Ottenber, porém este procedimento só passou a ser utilizado em larga escala a partir da Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

– Em 1914, Hustin relatou o emprego de citrato de sódio e glicose como uma solução diluente e anticoagulante para transfusões, e em 1915 Lewisohn determinou a quantidade mínima necessária para a anticoagulação. Desta forma, tornavam-se mais seguras e práticas as transfusões de sangue.

– Idealizado em Leningrado, em 1932, o primeiro banco de sangue surgiu em Barcelona em 1936 durante a Guerra Civil Espanhola.
– Após quatro décadas da descoberta do sistema ABO, um outro fato revolucionou a prática da medicina transfusional, a identificação do fator Rh, realizada por Landsteiner.

– No século XX, o progresso das transfusões foi firmado através do descobrimento dos grupos sanguíneos; do fator Rh; do emprego científico dos anticoagulantes; do aperfeiçoamento sucessivo da aparelhagem de coleta e de aplicação de sangue, e, do conhecimento mais rigoroso das indicações e contra indicações do uso do sangue.

– Após a Segunda Guerra Mundial, com os progressos científicos e o crescimento da demanda por transfusões de sangue, surgiram no Brasil os primeiros Bancos de Sangue.

– Foi em 1627, com a descoberta da circulação sanguínea no corpo, por Willian Harvey, que a hemoterapia começou a chamar atenção dos estudiosos da saúde para a possibilidade da transfusão.

– Em 1667, foi feita a primeira tentativa de transfusão de um carneiro para um paciente portador de tifo. Ele faleceu, mas a partir daí as tentativas de transfusão passaram por várias transformações.
– No início do século XX (1900)Karl Landsteiner descobre os grupos sanguíneos ABO e, 40 anos depois, descobre também o fator Rh.

Nos dias de Hoje

– A quantidade de sangue doado é de aproximadamente de 450ML . A quantidade de sangue no corpo de um indivíduo é cerca de 8% de seu peso e apenas 10% desse total pode ser doado.

– A parte líquida é reposta pelo organismo em 24h e o ferro é reposto pela alimentação em até 2 meses para homens e, 3 meses para mulheres, devido ao período menstrual. Portanto, você pode doar após este período.

– Em um intervalo de 12 meses os homens podem realizar até 4 doações e as mulheres até 3 doações.

– O sangue não se fabrica industrialmente;

Uma pessoa normal possui cerca de cinco litros de sangue, representando até 7% de seu peso. Ele é vermelho-vivo nas artérias e vermelho-escuro nas veias. São 96500 km de veias e artérias.
O sangue retirado do corpo coagula-se em seis minutos.
Em um minuto o sangue circula por todo o corpo. Essa viagem fica mais rápida ao praticarmos exercícios físicos. Quase um litro de sangue passa pelo cérebro nesse período.

Para quem vive ao nível do mar, uma gota de sangue contém 5 milhões de glóbulos vermelhos (ou hemácias). Em habitantes de regiões mais altas, esse número aumenta para 7 milhões. Eles transportam o oxigênio da respiração pelo corpo. O organismo destrói perto de 1 trilhão de glóbulos vermelhos por dia.Nessa mesma gota, temos 9 mil glóbulos brancos (ou linfócitos).

Eles formam o sistema imunológico, encarregado de defender o organismo contra os invasores. Existem ainda de 250 mil a 500 mil plaquetas sangüíneas. Ao ocorrer uma lesão num vaso, elas se juntam e contróem uma barreira para evitar a hemorragia.

Existem 10 bilhões de vasos capilares no corpo humano. É a esses vasos que os glóbulos vermelhos transferem o oxigênio que transportam para as outras células ao redor.

A temperatura do sangue no coração é de 38,8 graus. No fígado ela aumenta para quarenta graus.

A principal fábrica de sangue é a medula óssea. Produz duzentos mililitros de sangue por minuto.

O sangue do tipo O é conhecido como DOADOR UNIVERSAL. Ele pode ser injetado em qualquer pessoa. Mas quem tem esse tipo de sangue só pode receber transfusões do tipo O. Já o sangue A B é o RECEPTOR UNIVERSAL.

A AORTA é a maior artéria do corpo. Mede cinco centímetros de diâmetro e distribui o sangue a todas as partes do coração. Já a CARÓTIDA é uma importantíssima artéria que leva o sangue até a cabeça.

SE LIGA NESSE RECADO:

Fonte: Sangue / curiosidades 

Antonella Barcelos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: