Ensinando um pouco do mundo gaúcho

09 dez 2011 | By

Verdadeiro Gaucho

Gaúcho que é gaúcho não navega na internet; atravessa a nado!

O dialeto gaúcho é um dialeto do português falado no Rio Grande do Sul, e em parte do Paraná e de Santa Catarina. Fortemente influenciado pelo alemão e italiano, por força da colonização, e espanhol e pelo guarani, especialmente nas áreas próximas à fronteira com o Uruguai, possui diferenças lexicas e semânticas muito numerosas em relação ao português padrão – o que causa, às vezes, dificuldade de compreensão do diálogo informal entre dois gaúchos por parte de pessoas de outras regiões brasileiras, muito embora eles se façam entender perfeitamente quando falam com brasileiros de outras regiões. Foi publicado um dicionário “gaúcho-brasileiro” pelo filólogo Batista Bossle, listando as expressões regionais e seus equivalentes na norma culta.

 Fonologia

Traje Gauderio

Traje Gauderio

A fonologia é bastante próxima do espanhol rioplatense, sendo algumas de suas características a ausência de vocalização do “l” em “u” no final de sílabas, e a menor importância das vogais nasais, praticamente restrita à vogal “ã” e aos ditongos “ão” e “õe”. Gramaticalmente, uma das características mais notáveis é o uso do pronome “tu” em vez de “você” (diferente do usado em São Paulo), mas com o verbo na terceira pessoa (“tu ama”, “tu vende”, “tu parte”) porém não é raro ouvir a conjugação do “tu” correta. Outra característica é a forte entonação da última vogal nas palavras terminadas em “e” (por exemplo “leite”, “frente”), diferentemente de outras regiões do país que trocam o “e” por “i” (“leiti”, “frenti”).

As Qualidades do Gaúcho

Hospitalidade
Coragem
Nativismo
Respeito à palavra empenhada
Apego aos usos e costumes
Cavalheirismo

O que é o Tradicionalismo?

Apego às tradições e usos antigos.

O que é o Nativismo?

Amor que a pessoa tem pelo chão onde nasceu, onde é nato. Associado ao nativismo, existem duas palavras muito utilizadas: pago, que é onde se nasceu e querência, onde se vive. Exemplo: “Eu sou dos pagos do Alegrete, mas estou aquerenciado em Porto Alegre”.

Interjeições típicas

Bah! = Nossa! – é primariamente, uma interjeição de espanto, mas pode ter outros usos, como, por exemplo, mostrar hesitação ao iniciar uma frase.
Capaz? = É mesmo?, Imagina! – indica espanto e dúvida ao mesmo tempo quanto ao que a pessoa acabou de ouvir.
Que tri! = Que legal

abichornado… como
– viúvo que se deu bem em casado
– urubú em tronqueira (esperando um animal morto para alimentar-se e por isso está triste)

Aborrecido, triste, desanimado.

Alambrado

 Aramado. Cerca feita de arame para manter o gado nas invernadas ou potreiros.

alegre / faceiro / feliz…
– como lambari de sanga
– que nem paisano a meia-guampa
(paisano é expressão correntina e quer dizer patrício, amigo, camarada. Meia-guampa é expressão gauchesca, que significa ébrio. Alegre como camarada meio bêbado)

– como pinto no lixo
– como puta em dia de pagamento de quartel
– como milico em dia de soldo
– que nem ganso novo em taipa de açude
– como pica-pau em tronqueira
– como mosca em rolha de xarope
– como guri de tirador novo

mais afiada …
– que língua de sogra
– que navalha de barbeiro caprichoso

amarga …
– como erva caúna (a palavra caúna é tupi e significa amarga; expressão de quem está desabafando suas dores)

mais amontoado…
– que uva em cacho

mais ansioso…
– que anão em comício

mais apagado…
– que fogão de tapera

mais apertado… que
– queijo em cincha
– bombacha de fresco
– rato em guampa

mais apressado…
– que cavalo de carteiro

mais arisca…
– do que china que não quer dar

assanhada… como
– solteirona em festa de casamento
– lambari de sanga

mais assustado… que …
– guri em cemitério
– cachorro em canoa
– cavalo passarinheiro (pessoa que se assusta de tudo, até de seus atos)

mais atirado… que …
– capataz de estância grande
– alpargata em cancha de bocha

atrapalhado…
– feito discurso de turco
– que nem cego em tiroteio

Era tão baixinho
– que quando peidava levantava poeira do chão

baixo como…
– vôo de marreca choca
– tamborete de china
– umbigo de cobra
– barriga de sapo

babava…
– como boi com aftosa

bonita…
– que nem laranja de amostra

de boca aberta…
– que nem burro que comeu urtiga

bom… como
– namoro no começo
– faca achada

branco… como
– aipim descascado

buliçoso…
– como mico de viúva

chato…
– como chinelo de gordo
– como colchão de gordo
– que nem gilete caída em chão de banheiro

mais caro que…
– argentina nova na zona

cara amarrada…
– como pacote de despacho

cheio… como
– corvo em carniça de vaca atolada
– penico em dia de baile
– barril de chopp em festa de crente
– bolsa de china

cheirando bem..
– como cogote de noiva

chorão como..
– terneiro novo

cobiçada…
– como anca de viúva, nova e bonita

mais conhecido…
– do que parteira de campanha
– que feijão em cardápio de quartel

mais constrangido …
– que padre em puteiro

mais comprido … que
– putiada de gago
– trova de gago
– esperança de pobre
– suspiro em velório
– cuspe de bêbado

contrariado…
– como gato a cabresto

coxuda…
– como leitoa no engorde

mais curto… que
– coice de porco
– estribo de anão

desconfiado…
– como cego que tem amante

devagarzito…
– como enterro de viúva rica

mais difícil …
– que nadar de poncho e dormir de espora sem rasgar lençol

dinheiro na mão de pobre, é...
– como cuspe em ferro quente

doído…
– como guasqueaço em testa de negro, em comércio de carreira

dorme…
– atirado que nem lagarto (desta expressão surgiu o termo “lagartear”, deitar-se ao sol; Diz-se do sujeito que não tem cerimônia, se “atira” em qualquer lugar, de qualquer jeito)

mais duro … que
– salame da colônia

empacado …
– como burro de mascate (diz-se da pessoa que não se decide ou que sempre trava decisões)

mais encolhido…
– que tripa grossa na brasa

enfeitado… como
– bidê de china
– bombacha de turco
– mula de mascate
– carroça de cigano
– quarto de china
– santo milagroso

mais enrolada…
– que namoro de cobra
– que linguiça de venda

esburacado…
– como poncho de calavêra

escassa… como …
– pelo em recavém de touro
– passarinho em zona de gringo

esfarrapado…
– que nem poncho de gaudério

mais ensebado…
– que telefone de açougueiro

esparramados…
– como dedos de pés, que nunca entraram em botas

se espalhou…
– como como pó de mangueira em pé de vento

extraviado…
– que nem chinelo de bêbado

mais entravado…
– que carteira de sovina

falso feito..
– cobra engambelando sapo

mais fechado…
– que baú de solteirona

mais fedorento…
– que arroto de corvo

feia…
– como bando de coruja
– como mulher de cego

mais feio… que
– tombo de mão no bolso
– facada na bunda
– briga de touro
– indigestão de torresmo
– rodada de cusco em lançante
– briga de foice no escuro
– paraguaio baleado
– sapato de padre

firme…
– que nem palanque em banhado
– que nem prego em taquara
– feito prego em polenta
– como beliscão de ganso

folgada… como
– luva de maquinista, que qualquer um mete a mão
– peido em bombacha
– cama de viúva

mais por fora…
– que surdo em bingo
– que cabelo de côco
– do que cotovelo de caminhoneiro

mais forte…
– que porteiro de cabaré
– do que peido de burro atolado

frio…
– de empedrar água do poço

ganiçando…
– como cusco (cão) que levou água fervendo pelo lombo

mais gasto…
– que fundilho de tropeiro

gordo e lustroso…
– como cusco de cozinheira
– como gato de bolicheiro

mais gostoso…
– que beijo de prima

mais grosso como…
– dedo destroncado
– parafuso de patrola
– papel de enrolar prego
– mandioca de dois anos
– rolha de poço

mais grudado …
– que bosta em tamanco de leiteiro

mais inchado…
– que sapo bulido

mais informado …
– que gerente de funerária

alma inquieta …
– como galho de sarandi tocado pelo vento

mais intrometida…
– que piolho na costura

judiado…
– como filhote de passarinho em mão de piá

de alma leve…
– como um passarinho

mais ligeiro …
– que enterro de bexiguento

leve feito…
– pisada de gato

louco…
– como galinha agarrada pelo rabo

mais magro…
– que guri com solitária

maldoso…
– como petiço de guri

mais medroso … que
– velha em canoa
– cascudo atravessando galinheiro

mais metido…
– que merda em chinelo de dedo
– que dedo em nariz de piá

mais perdido…
– que peido em bombacha
– que cebola em salada de frutas
– que cusco em procissão

nervoso… como
– potro com mosca no ouvido
– gato em dia de faxina

mais nojento…
– que mocotó de ontem

perfumado como ...
– mão de barbeiro

pior…
– que jacaré sem lagoa
– que cusco que caiu do caminhão da mudança (pra casa antiga não adianta voltar, a nova ele não sabe onde é!)

quente …
– como frigideira sem cabo

qiueto …
– como mosquito na parede

rebola mais que …
– minhoca nas cinzas

sabido …
– como sorro velho (O sorro ou guaraxaim perde o pêlo mas não perde as manhas; diz-se do líder que sempre acha um jeitinho para acomodar as coisas, ou cair fora dos compromissos assumidos)

seco…
– como charque velho esquecido no varal
– como tiro de 12 cano-serrado

sério…
– feito delegado em porta de baile
– que em defunto
– que guri cagado
– como guri que examina galinha para ver se tem ovo

sincero…
– como vaca pro touro

sofrendo…
– como joelho de freira na Semana Santa

solita…
– como galinha em gaiola de engorde

suado como…
– tampa de chaleira

mais sujo que…
– pau de galinheiro

sutil…
– como gato que vai pegar passarinho

tradicional…
– como embalagem de maizena
– como fórmula de minâncora

tranqüilo…
– que nem cozinheiro de hospício
– como água de poço

mais vagaroso…
– que tropeiro de lesma (expressão usada para pessoas lerdas, que demoram para tomar uma atitude)

mais à vontade…
– que bugio em mato de boa fruta

mais virado…
– que bolacha em boca de velha

mais velho…
– que andar de pé

vermelho…
– feito pitanga madura

vivo…
-como cavalo de contrabandista

♠ Mais perdido que leitão sem teta.

♠ Mais perdido que cebola em salada de frutas.

♠ Firme como prego na gelatina.

♠ Mas curto que estribo de anão.

♠ Mais quebrado que arroz de quinta.

♠ Mais atrasado que gago em reza de terço.

♠ Mais triste que último dia de rodeio.

♠ Mais quieto que guri cagado.

♠ Judiado como filhote de passarinho em mão de piá.

♠ Firme que nem prego em polenta

♠ Feliz que nem lambari de sanga.

♠ Esfarrapado que nem poncho de gaudério.

♠ Mais perdido que filho da puta em dia dos pais.

♠ Mais comprido que cuspe de bêbado.

♠ Mais constrangido que padre em puteiro.

♠ Mais sofrido que joelho de freira em Semana Santa.

♠ Mais angustiado que tartaruga de costa

♠ Calmo que nem água de poço.

♠ Mais pesado que sono de surdo.

♠ Mais nojento que mocotó de ontem.

♠ Mais firme que palanque em banhado.

Ditados Gauchescos tradicionais::

♠  Cavalo de borracho sabe onde o bolicho dá sombra.

♠  Marido de parteira dorme do lado da parede.

♠  Cavalo bom e homem valente a gente só conhece na chegada.

♠    Quem faz o cavalo é o dono.

♠  Mulher, arma e cavalo de andar, nada de emprestar.

♠   Gaúcho macho não come mel, mastiga abelha.

♠    Pata de galinha nunca matou pinto.

♠    Cachorro que come ovelha uma vez, come sempre, só morto que se endireita.

♠   Vaca de rodeio não tem touro certo.

♠  Cada hombre, como o cavalo, tem o seu lado de montar.

♠   Faca que não corta, pena que não escreve, amigo que não serve, que se perca pouco importa.

♠   Ninguém é perfeito: só santo, e lugar de santo é no altar ou no céu, não neste mundo. Homem sem defeito não é bem homem

♠  Onde se viu o cavalo do comissário perder a corrida?

♠   Com esta corja, palavra não basta; ponta de faca e bala é que resolve.

♠  Quando se pega na rabiça do arado, deve-se ir até o fim do rego.

♠  Fala ao teu cavalo como se fosse gente.

♠   Quando ‘stiveres para embrabecer, conta três vezes os botões da tua roupa…

♠   Quando falares com homem, olha-lhe para os olhos, quando falares com mulher, olha-lhe para a boca… e saberás como te haver…

♠   Cavalo dado não se olha o pelo

♠   Deus tira os dentes , mas alarga a goela

♠   O diabo faz a panela , mas não faz a tampa

♠   Quem joga e anda em égua não se aperta

♠    Macaco velho não mete a mão em cumbuca

♠   O sol é o poncho do pobre

♠  Pau que nasce torto, morre torto

♠    Gaúcho macho e grosso não come carne, rói osso!

♠  Touro em campo estranho é vaca  (Forasteiros estranhos na terra)

♠    Se faz de petiço pra comer milho sovado

♠    Vaca de campo não tem touro certo

♠   Beleza não me impressiona; conheço muito campo feio que dá boa aguada…

♠  Montado na razão, não se precisa de espora

♠  Quem muito se agacha se le vê logo o rabo

♠  Boi que se atrasa bebe água suja

♠  Guri que não teve gonorréia até os 15 anos é puto

♠  Com quem veste saia – mulher, padre ou juiz – não se brinca

♠   Vergonha é roubar e não poder carregar

♠    Aquela moça é pior que coruja de banhado: vive pousando de pau em pau

♠  Quem gosta de aglomerado é mosca em bicheira

♠    Em mulher e cavalo novo não se mete a espora

♠    Carência afetiva na campanha, é falta de homem

Algumas comparações

   Na Cidade de São Paulo: Você pegou algumas frutas?

No Rio Grande do Sul: Tu pegou algumas frutas?

Na Cidade de São Paulo: Que tombo feio!

No Rio Grande do Sul: Mas que baita pialo !

    Na Cidade de São Paulo: Que “muleque” rápido!

No Rio Grande do Sul: Mas que “guri” ligeiro esse!

Há diferenças também nas próprias regiões do Rio Grande do Sul, por influência da colonização:

Na cidade de Porto Alegre: Bah, né! Tu viu que o cara cuspiu no chão?

Na cidade de Pelotas: Bah,! Tu viste que o cara pulou a cerca?

Na cidade de Passo Fundo : Bah, Tu viu que o piá pulou bunitaço tchê?

Vocabulário colhido de dicionário gaúcho

Vocábulos locais

  mandioca =  aipim
    ancinho = rastilho, rastelo, ciscador, catador de folhas
   aprochegar = aproximar-se, chegar perto;
    aspa = chifre=guampa
    aspaço / aspada= chifrada
    atucanado = atrapalhado, cheio de problemas;
    baita = grande, crescido; (Se usa em outras partes do Brasil).
    bagual = Execelente, Bom, Ótimo.
bergamota = tangerina;
bochincho = festa informal;
    bodoque = estilingue;
bolicho = boteco, botequim;
borracho = bêbado;
   branquinho = beijinho (doce);
brigadiano = Policial militar da Brigada Militar (corporação equivalente à Polícia Militar)
  cacetinho = pão francês;
   cancheiro = pessoa que tem experiência e/ou habilidade em alguma coisa
    carpim = meia de homem
    chapa = radiografia ou dentadura
    chavear = trancar com a chave;
    china = mulher bonita
    chinoca = guria que se pilcha de bota e bombacha ao invés do vestido de prenda (é contra os costumes).
    chinaredo = bordel; onde fica o chinaredo.
colorado = torcedor doSport Club Internacional
    corpinho = sutiã;
    cuecão = ceroula;
    cuia (para mate)= parte da planta ‘lagenaria vulgaris’ usada para o chimarrão.
  cupincha = camarada, companheiro, amigo;
    cusco = cachorro, cão pequeno;
entrevero = mistura, desordem, confusão de pessoas, briga;
    fatiota = terno;
  folhinha = calendário;
    gaudério = gaúcho;
    gremista = torcedor do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense
  guaipeca / guapeca = cachorro viralata.
guampa = chifre;
  guria = menina, moça;
    inticar = provocar;
  lancheria = lanchonete;
    lomba = ladeira;
macanudo = sujeito forte, respeitável, talentoso;
   melena = cabelo;
minuano = vento vindo do sul que trás as massas gélidas do Pólo Sul.
    negrinho = brigadeiro (doce);
   pandorga = papagaio, pipa;
    parelho = liso, homogêneo;
  patente = vaso sanitário;
pebolim = totó, fla-flu;
   pechada = batida, trombada (entre automóveis)
pedro e paulo = dupla de policiais militares;
    peleia = briga;
    guri = menino, garoto;
pila = palavra regional que dá nome a moeda nacional, no caso o Real (ex: 10 pila, 25 pila – usa-se sempre no singular);
    pingo = cavalo
prenda = mulher do gaúcho;
  quebra-molas = lombada;
  rótula = rotatória, redondo;
sarjeta = meio-fio;
   sestear = dormir depois do almoço;
sinaleira = semáforo;
talagaço = golpe;
taura = o mesmo que macanudo;
tchê = pessoa, “cara”;
  tercear ferro = lutar com adagas, facões ou facas grandes.
terneiro = bezerro;
  trava = freio, breque;
    tri = prefixo que significa muito (ex: trilegal, tribonita);
veranear = passar o verão;
  vivente = criatura viva, pessoa, indivíduo;
    xirú= índio ou caboclo. Na língua tupi quer dizer “meu companheiro”

 Outras variações

No Rio Grande do Sul, além deste dialeto, fala-se também o Riograndenser Hunsrückisch, outro dialeto falado entre os colonos alemães e também o Talian, falado pelos colonos italianos. São considerados dialetos nativos, uma vez que, embora provenientes de idiomas exóctones (alemão e italiano), desenvolveram-se no Rio Grande do Sul.

Ensinando fazer o churrasco

Assando um churrasco campeiro

Esta é minha Terra. Rio Grande do Sul

Veja tambem:

http://www.blackangelsl.net/2011/o-chimarrao-do-dia-a-dia-do-gaucho/
http://www.blackangelsl.net/2011/passo-fundo-minha-cidade-natal-terra-do-teixeirinha/

 

 

wikipedia

You Tube e outros pesquisados

Edição Rick Reymond


4 comentários em “Ensinando um pouco do mundo gaúcho

  1. Elvira SLNo Gravatar disse:

    Podia fazer uma ligação com a minha postagem de Passo Fundo :whistle:

  2. O.o sincero…
    -- como vaca pro touro ESSA EU NÃO SABIA , QUE A VAQUINHA ERA SINCERA PRO TOURO …. USHAUHAUASHUHSU…

    ♠ Gaúcho macho não come mel, mastiga abelha.
    vAI LÁ MASTIGAR VAI SUAHSUASHUAHSAUS, NÃO ESQUECE ANTES DE TIRAR O FERRÃO PRA NÃO ENGASGAR UAHUHSAUHSAUSHASUAHSUASH…. ESSA DEU MEDO KKKKKKKKKKKK :w00t:

    Um verdadeiro dicionario gaúcho, otimo vou ler mais todos os dias um pouco só assim aprendo do mundo gaúcho hahahahahahah :w00t:

  3. gaúcho não fala aipim, fala mandioca.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: