Metal Gothic Music (Musicas Metal Góticas)

07 nov 2011 | By

Gothic metal (também conhecido como goth metal ou metal gótico) é um gênero do heavy metal que evoluiu do death/doom metal, e caracteriza-se por seu clima melancólico e um enfoque sombrio em temas como religião, sexualidade e morte. A maioria das bandas do gênero utilizam elementos da música erudita como coros e orquestras (produzidos, na maioria das vezes, por sintetizadores) e vocais líricos. Apesar de possuir uma certa influência do rock gótico, o gothic metal não é um tipo de música gótica, pelo fato da subcultura gótica nunca ter tido nenhuma relação com o metal. Por essas e outras razões, discursos como “não existe gothic metal” já estão se tornando comuns nos dias de hoje. O gothic metal de fato existe, levando-nos a refletir se a origem do problema é realmente uma taxonomiamusical. O termo foi cunhado por Nick Holmes, vocalista do Paradise Lost e o álbum Iconlançado em 1993 pela banda, já apresentava essa sonoridade.

Os primeiros discos de gothic metal

O primeiro disco de gothic metal – apesar do termo ainda não ter sido cunhado – foi Icon (1993), do Paradise Lost. A banda simplificou suas músicas e se livrou dos riffs de death metal e dos andamentos lúgubres do doom metal. Nick Holmes também substituiu o seu vocal guturalpor um timbre de voz bem parecido com o de James Hetfield (Metallica).

No mesmo ano é lançado Serenades do Anathema. Apesar de musicalmente situado dentro do doom / death metal, não tendo, assim, nada do que hoje é considerado gothic metal, o álbum tinha uma faixa, “Sleepless”, um meio termo entre The Cure e Metallica que viria a ser, diretamente ou indiretamente, um modelo a ser seguido no emergente gothic metal.

Por último temos o Wildhoney (1994), do Tiamat. Considerado inclassificável quando lançado (não parecia com nada do undergroundmetállico da época), o disco criou um novo precedente no mundo do metal. Wildhoney juntou mundos díspares – Slayer com Pink Floyd, p. ex. – e acabou sendo um dos álbuns que definiu o gothic metal. Seu clima melancólico, seus experimentalismos floydianos e alternância de Edlund entre seu vocal gutural e seu vocal mais “cantado” ainda servem de referência até hoje para muitas bandas de gothic metal.

Subgêneros

Classic Power Metal: Também conhecido como American Power Metal, surgiu em meados dos anos 80, derivado da fusão entre o Heavy Metal e o Power Metal. Possui um estilo mais “violento” que o europeu, tendo como foco os vocais e os riffs de guitarra. E dispensam o uso de teclados. Tem influência de bandas do cenário do Heavy e do Power Metal, como: Savatage.

Bandas: Manowar, Jag Panzer e Crimson Glory

Obs: Esse estilo, por não ter se desenvolvido muito, permanece até hoje no Underground americano.

Melodic Power Metal: Surgiu na Europa e teve seu auge nos anos 80, com principais representantes na Alemanha, Itália e Países Escandinavos. Prega temas inteligentes com positividade. Utiliza-se de vocais limpos. Suas principais influências são a música folk emúsica clássica,

Bandas:Stratovarius, Sonata Arctica, Freedom Call, Edguy, Altaria e Revolution Renaissance.

Extreme Power Metal: Caracteriza-se por seus vocais rasgados e letras violentas, no geral bandas de Melodic Death Metal que interpretam vários elementos do Power Metal. Esse subgênero foi mais forte nos países ao norte da Europa, como a Finlândia.

Bandas: Children of Bodom, Norther, Kalmah.

Folk Power Metal: Uma derivação de Folk Metal e Power Metal, inspira-se em elementos medievais e fantasiosos em suas letras.

Bandas: Falconer, Elvenking.

Progressive Power Metal: Uma variação de Progressive Metal, com elementos de Power Metal, utiliza-se de elementos complexos em suas composições.

Bandas: Angra, Adagio, Blind Guardian, Dragonland, Galneryus, Kamelot, Savatage, Shaman e X Japan.

Compasso 4/4

Symphonic Power Metal: Subgênero do Power Metal, com a utilização de instrumentos sinfônicos clássicos (teclados, flautas, etc). Caracteriza-se também por vocais limpos e agudos, é erroneamente classificado algumas vezes como subgênero do Power Metal Progressivo devido aos seus aspectos sinfônicos, porém é facilmente perceptível as diferenças entre os subgêneros; o Symphonic Power Metal normalmente usa a clássica batida 4/4 (aglomeração de quatro tempos, sendo o primeiro tempo acentuado, o segundo e o quarto são fracos e o terceiro tem intensidade intermediária), não usa ritmos complexos ou experimentações advindas do fusion ou do rock progressivo, somente se utiliza de teclados num contexto puramente Power Metal.

Bandas: Nightwish, Dark Moor, Rhapsody of Fire, Luca Turilli’s Dreamquest, Versailles e Cain’s Offering.

Thrash-Power Metal: Subgênero do Power Metal com forte influência de Thrash Metal. Tem como características vocais limpos e guitarras agressivas. Com origens nos Estados Unidos pela fusão do Classic Power Metal com o Thrash Metal americano.

Bandas: Iced Earth, Sanctuary e Demons & Wizards.

Medieval Power Metal: Subgênero inspirado no Heavy Metal, com características medievais marcantes e uso da literatura fantasiosa em suas letras. Bandas: Blind Guardian, Hammerfall.

Power/Doom metal: É a junção do Power Metal com o Doom metal tradicional, neste estilo se encontra guitarras pesadas do Doom Metal tradicional dos anos 80 e bateria rápida e veloz do Power Metal .

Banda: Memory Garden.

Pirate Metal: É uma variação do Power Metal com letras temáticas de piratas, retratando seu estilo de vida, bebida, batalhas marítimas e mulheres. Bandas: Running Wild, Alestorm.

O que é – e o que não é – gothic metal

A grande ironia do gothic metal contemporâneo é o fato de que seus grupos mais bem-sucedidos não são do gênero. A culpa dessa confusão vêm uma visão estereotipada do gothic metal: bandas de metal com vocalistas femininas e floreios neoclássicos. Essa generalização acaba englobando bandas como Nightwish, Epica, Within Temptation, After Forever e Evanescence.

góticos e o gothic metal

O metal gótico atraiu muitos neófitos para a cena gótica. Entretanto, ele foi também alvo de críticas por veteranos dessa mesma cena. A maioria dos “antigos góticos” não gostam o gothic metal pelo fato da raíz do estilo ser o metal. O metal é considerado por eles um estilo machista e misógino. Além do mais, sua ênfase em guitarras “pesadas” e temáticas agressivas não condiz com a “alma feminina” do gótico, e pelo fato de algumas bandas serem introduzidas à mídia muito facilmente, e por acabar classificando toda banda que tenha vocais femininos e instrumentos sinfônicos como uma banda gótica. A mulher idealizada no goth rock geralmente tem um ar sensual e niilista auto-destrutivo, enquanto no goth metal a mulher idealizada pode variar de uma rainha infernal a uma donzela triste das épocas antigas.

Curta algumas Musicas desse estilo gótico metal!

The Birthday Massacre

Oomph! – Labyrinth

Rammstein – Bang Bang

Apocalyptica-Hope

Funeral Cry // Dark Sanctuary

Apocalyptica Gothic metal

Theatre of Tragedy,Siren

Type O Negative – Black No.

Entre tantas outras bandas e musicas horripilantes, só pra curtir!

Fonte: Music Metal 

 

Antonella Barcelos

Um comentário em “Metal Gothic Music (Musicas Metal Góticas)

  1. Mt bom sua visão pricipalmente com Xmal e Syster of mercy !

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: