Para pensar, no que fazemos sem pensar!

05 set 2011 | By

Como Nasce um Paradigma?

Paradigma (do grego parádeigma) literalmente modelo, é a representação de um padrão a ser seguido. É um pressuposto filosófico, matriz, ou seja, uma teoria, um conhecimento que origina o estudo de um campo científico; uma realização científica com métodos e valores que são concebidos como modelo; uma referência inicial como base de modelo para estudos e pesquisas.

O conceito originalmente era específico da gramática, em 1900 o Merriam-Webster definia o seu uso apenas nesse contexto, ou da retóricapara se referir a uma parábola ou uma fábula. Em linguística, Ferdinand de Saussure (1857 – 1913), utiliza o termo paradigma para se referir a um tipo específicio de relação estrutural entre elementos da linguagem.

Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula, em cujo centro havia uma escada e sobre ela, um cacho de bananas.

Cada vez que um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os pesquisadores lançavam um forte jato de água fria sobre os que estavam no chão. Não custou muito para que cada vez que um macaco ameaçava subir a escada, os demais o enchessem de pancada.

Em pouco tempo nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.

Os cientistas substituíram então um dos cinco macacos.

A primeira coisa que o novo macaco fez foi tentar subir a escada, dela sendo rapidamente retirado pelos outros, que o surraram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.

Um segundo macaco foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo da surra ao novato.

Um terceiro foi trocado, e repetiu-se o fato.

Um quarto e, finalmente o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas ficaram então, com um grupo de cinco macacos que, nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse chegar às bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles porque batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: “Não sei, as coisas sempre foram assim por aqui..”

Já dizia Albert Einstein: “É mais fácil desintegrar um átomo do que eliminar um preconceito”.

Fonte: Paradigma 

Antonella Barcelos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: