Pesquisa descobre forma de adiar o envelhecimento

09 nov 2011 | By

Estudo conseguiu eliminar do corpo células danificadas que causam doenças

Pesquisadores da Clínica Mayo, em Minnesota, conseguiram matar células senescentes (que param de se dividir) e, desta forma, barrar alguns aspectos do envelhecimento. O estudo foi feito injetando uma droga em camundongos que eliminava essas células. Houve bom resultado na prevenção de cataratas e na proteção de gordura nos tecidos.
De acordo com os pesquisadores, o fênomeno de senescência, em que a célula deixa de se dividir, ocorre ao longo da vida. Porém, quando somos mais velhos, o organismo tem dificuldade em se livrar destas células. O efeito disso é a produção de substâncias nocivas ao corpo que podem desencadear doenças.
Os pesquisadores conseguiram um significativo atraso no desenvolvimento de catarata e outras alterações relacionadas à idade, como a deterioriação da camada de gordura no músculo em ratos. Os animais mantiveram essa estrutura e podiam se exercitar por mais tempo.
Um segundo grupo de ratos foi tratado apenas na velhice, quando já havia sinais de envelhecimento. A remoção das células danificadas não reverteu o declínio, mas impediu que a deterioração fosse maior.
A pesquisa, que foi publicada na revista Nature, está em fase inicial mas já aponta que as células senescentes possam ser um caminho para as pessoas se manterem saudáveis mesmo na velhice.

“Se você puder limpar as células senescentes, você talvez consiga tratar as doenças relacionadas à idade como um grupo e não mais individualmente”, afirma Jan van Deursen, autor do estudo.

Não foram identificados efeitos colaterais nesta etapa da pesquisa. Mas o estudo ainda é extenso e precisa avaliar como os diferentes tecidos do corpo – por exemplo, o cérebro – reage a essa nova terapia.

Revista Galileu

Mistério A+

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: