Rivotril – Remédio para os mais ansiosos vira “companheiro” para todos os momentos, taxado de “pílula da felicidade”

25 nov 2011 | By

Remédio para os mais ansiosos vira “companheiro” para todos os momentos e tem até fan pages no Facebook. Para especialistas, o fenômeno é preocupante porque não existe nenhuma “pílula da felicidade”

Sempre que está inquieto, depois que passa por algum momento estressante ou quando é difícil pegar no sono, Eduardo*, 22 anos, toma algumas gotinhas de clonazepan, o popular Rivotril, e parece melhorar na hora. O remédio, também vendido em forma de comprimido, foi indicado pela psicóloga do rapaz, em parceria com um médico, para ajudar no tratamento da depressão. Ansiolítico, o medicamento ajuda a controlar a ansiedade e a tensão e faz com que os problemas “desapareçam” por um tempo.

Parece até milagre, mas não é bem assim. Especialistas têm observado uma popularização do Rivotril entre jovens e adultos brasileiros. O que para eles é muito preocupante. Afinal, nenhum medicamento tem o poder de eliminar os problemas do dia-a-dia. Isso sem contar que, quando utilizado de forma inapropriada, aquele inofensivo comprimido pode ser muito perigoso.

Nas redes sociais, então, o Rivotril se tornou quase um ícone pop dos novos tempos. Pelo Twitter, não é difícil encontrar alguém comentando sobre os prazeres proporcionados pelo medicamento, que ganhou também fan pages no Facebook. Quase 5 mil pessoas já “curtiram” uma delas e fizeram comentários do tipo “minha mágica para o final de semana” ou “a pastilha da alegria”. Segundo remédio na lista dos mais vendidos no Brasil – perdendo apenas para um anticoncepcional –, ele foi se popularizando ao longo dos anos por uma série de fatores.

Um deles é o preço. Barato, o Rivotril chega a custar menos de R$ 10 em algumas farmácias de Curitiba. E, apesar da tarja preta, pode ser indicado por qualquer médico, o que faz com que a receita seja de fácil aquisição. “O pessoal tem medo de visitar um psiquiatra e acaba indo a outros profissionais que vão por um caminho mais simples e preferem receitar um calmante para aquele momento”, afirma o presidente da Sociedade Paranaense de Psiquiatria, André Rotta Burkiewicz. E o Rivotril, que seria apenas para tratamentos específicos e não deve ser tomado por longos períodos, acaba se tornando o remédio “companheiro”, aquele para todos os momentos.

Admirável Mundo Novo

A estudante Beatriz*, 20, é dessas que tem sempre uma caixinha de Rivotril por perto. “Na verdade, eu digo que ele virou meu remédio aleatório”, brinca. Atualmente, ela faz tratamento psiquiátrico para tratar a síndrome do pânico, mas conta que conheceu a medicação há três anos, quando entrou na faculdade de Farmácia. Com a ajuda de um primo médico, a jovem conseguiu as receitas para comprar a droga. “Quando eu sinto que eu estou muito nervosa, eu tomo uma dosagem mínima, de 0,25 miligramas”, diz.

Em 1932, o escritor inglês Aldous Huxley previu um comportamento parecido em seu livro Admirável Mundo Novo. Na obra, em uma sociedade futurística, qualquer sentimento ruim, era eliminado com uma droga chamada “soma”. Hoje, com a correria do nosso cotidiano, o Rivotril parece ter assumido esse papel. Conforme afirmam especialistas, as pessoas estão preferindo muito mais ingerir um medicamento que provoca um alívio momentâneo ao invés de enfrentar de verdade os percalços do dia-a-dia, que, no fim, devem ser mesmo encarados. “A angústia e ansiedade funcionam como uma espécie de propulsor positivo de vida mental”, afirma o presidente da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, Plínio Montagna, que também é psiquiatra. Ou seja, esses sentimentos fazem parte da nossa existência e nos ajudam a viver.

Rivotril não é vilão, mas é preciso cuidado

O que também se deve levar em conta é o fato de que o medicamento, por si só, não é o vilão desta história. De acordo com Montagna, o Rivotril é uma “excelente droga”. “É uma medicação muito eficiente, mas tem indicações”, diz. Quando receitado corretamente, ele ajuda em doenças como ansiedade, fobia social e síndrome do pânico. Mas sempre como paliativo e não como tratamento definitivo. “Um quadro de ansiedade tem que ser tratado com o Rivotril por um tempo curto, senão, no futuro, ele mesmo vai causar ansiedade. O paciente só vai conseguir fazer alguma coisa se tomar o remédio”, afirma Burkiewicz. E depender de um comprimido para viver não parece mesmo ser bacana.

Cuidado

Dê uma olhada nos principais efeitos colaterais que o uso contínuo e indevido de medicamentos como o Rivotril podem causar no corpo

 Cabeça

 – O efeito colateral mais grave do uso contínuo do Rivotril é a dependência química. Conforme a dose vai aumentando, o corpo sente cada vez mais necessidade do medicamento. Se torna, realmente, um vício, como acontece com as drogas. A falta da medicação no corpo pode gerar, inclusive, crises de abstinência.

– Problemas como alteração de memória, desatenção e até mesmo apagões também podem acontecer.

– Em casos de depressão, o uso abusivo do remédio pode até mesmo piorar o problema e potencializar a doença.

 Pulmão

– Por conta do relaxamento do corpo causado pelo medicamento, pode surgir o quadro de “apneia do sono”, que é quando a respiração diminui ou para completamente enquanto a pessoa dorme.

 Fígado

– Problemas hepáticos também podem surgir com o abuso do Rivotril.

Pernas

– Alterações motoras, prejudicando os movimentos e também a fala, são outros efeitos colaterais do uso indevido do medicamento.

 Efeitos paradoxais

– Alguns pacientes podem ter efeitos contrários aos causados pelo medicamento, ficando ainda mais ansiosos.

Fonte: André Rotta Burkiewikz, presidente da Sociedade Paranaense de Psiquiatria

 Problemas devem ser enfrentados

 Ninguém curte ter um dia ruim. Estresse no trabalho, fim de relacionamento e brigas em casa são problemas cotidianos que acontecem com todo mundo. Mas não é por estar com a cabeça quente que é preciso tomar um medicamento para esquecer, mesmo que por um tempo, tudo isso. Lidar de frente com as dificuldades é uma maneira de crescer e os sentimentos, mesmo que ruins, são essenciais para a vida.

 “Se esses sentimentos foram selecionados na nossa espécie mesmo com a evolução, é porque eles têm valor de sobrevivência”, explica o psicólogo Paulo Roberto Abreu, doutorando do Departamento de Psicologia Experimental da USP.

 Para o presidente da Sociedade Paranaense de Psiquiatria, André Rotta Burkiewicz, a família também tem uma parcela de culpa nesse fenômeno moderno. “O que a gente acompanha em consultório é que a família não está preparando esses adolescentes para as dificuldades do dia-a-dia, isso acarreta quadros de frustrações. E eles procuram a maneira mais fácil, utilizando o Rivotril”, afirma.

De acordo com Burkiewicz, nos Estados Unidos isso já vem sendo observado há mais tempo e estudado com atenção por especialistas. “Alguns psiquiatras temem que a geração atual, devido ao uso abusivo desses medicamentos, se torne uma geração de pessoas apáticas, que não sabem lidar com as frustrações”, diz.

O estudante Eduardo*, que toma o medicamento há um ano e meio, acredita essa popularidade crescente do remédio, principalmente nas redes sociais, tem a ver com a banalização do Rivotril. O jovem diz ainda que acabou se tornando “cool” falar que depende do medicamento para viver. “Nem todo mundo que diz tomar Rivotril realmente toma. Na internet, as pessoas criam personagens por questão de popularidade, tentam parecer algo que na realidade não são”.

 *Os nomes verdadeiros foram omitidos para preservar a identidade dos entrevistados.

Fonte> Rivotril 

Antonella Barcelos

3 comentários em “Rivotril – Remédio para os mais ansiosos vira “companheiro” para todos os momentos, taxado de “pílula da felicidade”

  1. RickReymondNo Gravatar disse:

    Bom nao vou negar que uso, mas para mim o efeito é DORMIR .
    Não sabia que DORMIR era ser Alegre :blink:
    Drr

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Bom Tu ja viu meu rei , louco ter distinção de alguma coisa?? :wassat:

  3. leandroNo Gravatar disse:

    Eu tenho que entrar no modo reset!!! Pra mudar essa doga de vida!!!! So fazendo isso…..falta de alegria e so plobremas ta loco meu……e preciso esquecer um pouco de tudo,…..E DE TODOS …..UFAAAAAAA QUANTO PLOBREMA!!!!
    KKKK! !!!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: