Cientista acredita e Pepsi afirma que refrigerantes podem mesmo dissolver um rato

06 fev 2012 | By

Pepsi afirma que seu refrigerante pode dissolver um rato

A Pepsi está sendo processada por um homem de Illinois, nos Estados Unidos, que supostamente encontrou um rato dentro do seu refrigerante. Isso já poderia ser suficientemente desagradável se não fosse a defesa da empresa, que alegou que se realmente houvesse um rato dentro da bebida, o consumidor nunca iria saber.

O responsável pelo processo, Ronald Ball, disse que em 2009 ele bebeu um refrigerante de uma máquina de vendas. Logo em seguida começou a passar mal e vomitar. Ele não sabia o que havia ocasionado o problema, até que ao abrir a lata ele retirou o corpo de um rato de dentro dela.

Após esse episódio, Ball ligou para o serviço de atendimento da empresa e contou sua história. Um funcionário da Pepsi teria então recolhido o rato para análise. Quando ele pediu o rato de volta para usar como prova no processo, a empresa afirmou que o corpo do animal havia se decomposto e, portanto, não poderia ser usado como evidência.

Dessa forma, a Pepsi alegou durante o julgamento que, se o caso fosse verdade, o corpo do animal teria simplesmente se dissolvido dentro da lata, antes que Ball sequer tivesse tido contato com ela. Ou seja, Ronald Ball teria bebido um rato gelatinoso e não teria notado.

Cientista acredita que refrigerantes podem mesmo dissolver um rato

Um ácido presente na soda pode corroer até ossos, mas deixaria alguns vestígios.

Dias depois do caso do homem que está processando a Pepsi por ter encontrado um rato morto em uma garrafa de refrigerante, chegou a vez de a ciência explicar o ponto de vista acadêmico do ocorrido.

Relembrando: o argumento da empresa de soda é que o animal teria se decomposto por inteiro depois de meses armazenado, enquanto o homem afirma que realmente o encontrou inteiro. De acordo com a Scientific American, o refrigerante pode até ser capaz de dissolvê-lo, porém vestígios de colágeno e tecidos do bicho ainda estariam intactos, formando uma camada de material que lembra borracha.

O Yan-Fang Ren, da Universidade de Rochester, explicou que o ácido cítrico, presente em refrigerantes como o Mountain Dew (uma soda similar ao Sprite, na qual o rato foi encontrado), é um dissolvente ainda mais poderoso que o ácido fosfórico, que está na receita de bebidas como a Coca-Cola.

Ren ainda explicou que não é só o refrigerante cítrico que teria esse poder: o suco de laranja puro, que tem um pH bastante ácido (de 3,5 a 3,8), também pode ser capaz de corroer dentes e ossos depois de um tempo de exposição. A diferença? Ele contém ainda a vitamina C, enquanto as bebidas industrializadas não levam nenhum ingrediente benéfico para a saúde.

Fonte: Refrigerante

Antonella Barcelos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: