Códigos Secretos do BDSM

30 set 2012 | By

Apesar de ser falado com frequência, não há na verdade “códigos secretos” no BDSM. Se há, eles são realmente secretos!  O que será abordado aqui são alguns sinais usados algumas vezes pelos membros da comunidade fetichista. Não são exatamente segredo, mas alguns deles são coisas que você não deve ter ouvido falar. Geralmente essas coisas tem variação entre países e até cidades, então uma grade diferença deve ser notada. (…)

Nenhum desses códigos são regras, mas são simples exemplos de sinalizar aos outros sobre seus interesses. A regra geral é NUNCA considere, mesmo que remotamente, por garantido um sinal. Pergunte! Ou você irá passar por diversas situações constrangedoras, mesmo em festas ou munches.

Vamos começar com alguns sinais básicos neste artigo. (…)

Nos encontros, eventos e festas BDSM um simples código de Esquerda/Direira é usado usualmente. Qualquer coisa vestido/usado  na esquerda (chicote, chaves ou algemas) indicam que se trata de um “dominador”. Se o objeto estiver do lado direito significa “eu sou um submisso, use isso em mim”. Então, se você está numa festa, tenha cuidado onde você pendura as suas chaves!

Outro código, apesar de antigo e obsoleto é o código de rebite (stud code). Se sua munhequeira ou coleira tiver rebites pontudos (espetos), significa que você é dominador. Rebites chatos ou lisos significa submisso. No entanto se você estiver numa festa, não conte com isso. De fato, em uma festa o dominador nunca colocaria uma coleira, independente do tipo de rebite.

Um pequeno urso de pelúcia numa jaqueta de couro pode significar (de novo, não é regra) que a pessoa é um “urso” – um tipo de papai… Talvez a procura de um “menino” ou uma “menina”  para brincar.

Enquanto a troca de poderes não há um símbolo em especial, as pessoas as vezes tentam indicar a sua preferência com um pequeno chaveiro com algemas ou acessório similar. No entanto como algumas pessoas usaram este artigo apenas por diversão (incluindo policiais), isso pode levar a situações constrangedoras.

Há diversos tipo de simbolos por aí – nenhum deles, no entanto, é universal. Há o triskelion por exemplo (…) e na Europa tentou-se fazer um quadrado preto, como o triângulo roxo gay – o símbolo universal. Hoje muitos desses símbolos estão na internet. Mas poucos se encontram na vida real.

 

Fonte: BDSM DigestDiário de uma Baunilha.

Antonella Barcelos

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: