Aumentando a imunidade do seu organismo

06 abr 2017 | By

virus-imunidadeImunidade é um termo genérico que designa uma série de mecanismos presentes no organismo humano que têm como função realizar a defesa do corpo contra a invasão de agentes patogênicos, tais como vírus, bactérias e protozoários. Ocorrências comuns e às vezes dolorosas, como a inflamação da garganta ou a formação de pus numa área infectada são na verdade sinais da ação do sistema imunológico tentando restringir a ação de um micro-organismo invasor.
Tipos de imunidade

De maneira geral, existem dois tipos de imunidade: inata e adquirida.
Imunidade inata

A imunidade inata é aquela que o ser humano traz desde o nascimento. Este tipo de imunidade não possui a chamada memória imunológica e sua resposta à invasão de micro-organismos é inespecífica, pois ataca os patógenos de maneira sempre igual, como primeira e mais rápida linha de ação protetora. Há três tipos de componentes da imunidade inata: físico-químico (pele, mucosas, cílios), celular (glóbulos brancos ou leucócitos) e humoral (enzimas das secreções, mucosas e sangue).
Imunidade adquirida

A imunidade adquirida, por outro lado, diz respeito às adaptações realizadas pelo organismo para o combate específico de certos patógenos. Neste caso, falamos de memória imunológica, pois os leucócitos – células que compõem este tipo de imunidade – armazenam informações sobre o enfrentamento de um determinado invasor e, assim, melhoram suas chances de controle do micro-organismo em caso de nova invasão. Esta forma de imunidade pode ser adquirida após uma infecção inicial, ou seja, após contrair dengue, o organismo do paciente desenvolve anticorpos específicos para aquela cepa do vírus e não mais sofrerá com ela numa segunda infecção. Além disso, a imunidade pode ser adquirida ao se tomar uma vacina, que insere o patógeno inativado no corpo para que ele desenvolva anticorpos.
O que é imunidade baixa

Fala-se em imunidade baixa – cientificamente chamada imunodeficiência – quando o organismo do paciente está com o sistema imunológico fragilizado. Normalmente, isto ocorre por conta de uma doença crônica ou passageira. A doença mais conhecida que provoca baixa imunológica é a Aids (síndrome da imunodeficiência adquirida). Distúrbios do sono e quadros de depressão também estão nesta lista. Além disso, alguns hábitos de vida, tais como o sedentarismo, tabagismo, consumo exagerado de álcool, estresse e ingestão de alimentos pouco saudáveis reduzem as defesas do organismo.
Riscos da imunidade baixa

A redução da imunidade torna o corpo mais suscetível a infecções bacterianas e virais, entre outras. É por conta dessa perda da eficiência do sistema imunológico que a Aids é uma doença grave, pois a baixa imunológica é tão significativa que o paciente fica vulnerável e até infecções hoje de simples tratamento podem levá-lo à morte. Atualmente, o tratamento antirretroviral, ao reduzir a carga viral do HIV, também aumenta a capacidade imunológica do portador de Aids.

Sintomas de Imunidade Baixa
Os principais sintomas de imunidade baixa estão relacionados com a diminuição das defesas do organismo contra parasitas como vírus, bactérias e fungos, que acabam causando doenças frequentes.
O sistema imunológico é formado pelas células de defesa e por barreiras físicas no corpo, como a pele e a acidez do estômago, que atuam evitando a entrada de micro-organismos ou combatendo infecções quando o organismo fica doente.
Por isso, deve-se estar atento ao sintomas de imunidade baixa, como:
Infecções recorrentes, como amigdalite ou herpes;
Doenças simples, mas que demoram a passar ou que agravam facilmente, como gripe;
Febre frequente e calafrios;
Cansaço excessivo;
Náuseas, vômitos ou diarreia.
Além disso, ter o sistema imunológico franco também favorece o aparecimento de estresse, mesmo após uma noite de sono ou durante o período de férias.
Doenças que diminuem a imunidade
Algumas doenças diminuem naturalmente a imunidade do organismo, como AIDS, lúpus, câncer, anemia, obesidade, desnutrição e alcoolismo.
Além disso, o sistema imunológico também pode ficar comprometido com o uso de corticoides, medicamentos imunossupressores, que são usados em transplantes de órgãos, durante o tratamento para câncer ou com o uso prolongado de alguns remédios anti-inflamatórios, como a Dipirona.
Imunidade baixa na gravidez
Durante a gravidez é normal ficar com o sistema imunológico enfraquecido, devido às alterações hormonais e às mudanças no corpo da mulher, sendo necessário ter atenção redobrada para evitar problemas como gripes e infecções urinárias.
Para evitar complicações, é importante sempre ir às consultas de pré-natal, fazer uma alimentação rica em frutas e legumes ricos em antioxidantes, como laranja, abacaxi, limão, cenoura e couve, e tomar as vacinas para gripe durante a gestação.

Pessoas com imunidade baixa podem aumentar sua imunidade apenas com ações diárias como a prática regular de atividade física e a adoção de uma dieta balanceada. Além disso, a moderação no consumo de álcool e a interrupção do consumo de cigarros também eleva a imunidade. Por fim, alimentos ricos em vitamina C ou suplementos desta vitamina – que só devem ser usados sob prescrição médica – são importantes aliados na busca por elevar a imunidade.

 

Sistema imune enfraquecido
O sistema imune fica enfraquecido quando o conjunto de mecanismos de defesa do organismo não defende o organismo como deveria, facilitando assim a instalação de doenças.
O sistema imune é composto pela porção branca do sangue, responsável pela produção de anticorpos sempre que o organismo é exposto a algum corpo estranho, como no caso de uma epidemia de meningite, por exemplo. Mas, também pode se considerar mecanismo de defesa a pele e mesmo a secreção ácida do estômago, que neutraliza muitas vezes a atividade de microrganismos, impedindo que se desenvolvam dentro do corpo humano.

O que são doenças autoimunes

Doenças autoimunes são condições que desregulam o sistema imunológico fazendo com que ele passe a reconhecer o próprio organismo como invasor e atacá-lo. Existem diversas doenças autoimunes. Entre elas estão lúpus, diabetes tipo 1, tireoidite de Hashimoto e anemia perniciosa.
Definição de imunidade humoral

Também chamada de imunidade mediada por fatores humorais, a imunidade humoral é um tipo de imunidade composta de anticorpos e de complementos. Essa imunidade se opera pela via sanguínea por intermédio da ação dos glóbulos brancos, entre as quais figuram essencialmente os linfócitos B. Essas últimas possuem como função transformar em plasmócitos para produzir anticorpos. Fabricados no baço ou nos gânglios linfáticos, os anticorpos, ou imunoglobulinas, são compostos de proteínas que são transportadas no plasma.

Quando ir ao médico
Deve-se procurar o médico clínico geral logo que apresentar os sintomas de imunidade baixa ou se tiver doenças ou fatores de risco para enfraquecer o sistema imunológico, sendo necessário fazer exames de sangue para verificar como está a imunidade.
Em geral, o tratamento é feito com alterações na alimentação, prática regular de atividade física e uso de remédios caseiros como o chá de equinácia.

Como aumentar a sua imunidade 

Para aumentar o sistema imunológico, prevenindo o desenvolvimento de algumas doenças e ajudando o corpo a reagir àquelas que já se manifestaram, é importante comer mais alimentos fonte de vitamina C, como laranja, limão e tangerina, e tomar um suplemento de vitamina C, efervescente ou em cápsulas.
Além disso, o que se pode fazer em caso de imunidade baixa inclui:
Evitar o consumo de alimentos enlatados, pré-preparados e cheios de conservantes químicos;
Praticar exercícios físicos leves;
Ficar exposto ao sol no início da manhã.
A sensação de bem-estar produzida pela atividade física regular fortalece a imunidade e a exposição regular à luz solar também, devido à síntese da vitamina D.

Alimentos que aumentam a imunidade do bebê
Os alimentos que aumentam a imunidade do bebê podem ser:
frutas, como laranja, maçã, pera ou banana;
vegetais, como cenoura ou abobrinha;
iogurte natural.
Esses alimentos, além de ajudar a fortalecer o sistema imunológico do bebê, também são facilmente digeridos pelo organismo do bebê e não são alergênios.

Outros Alimentos que ajudam a aumentar a imunidade 

Alho
“Tem função imunoprotetora e uma boa dose de selênio e zinco, nutrientes importantes para evitar gripes, resfriados e outras doenças. Pode ser consumido no tempero das preparações e adicionado cru para temperar o tofu, por exemplo”, explica Lucianna Jardim, nutricionista especialista em ciência dos alimentos.

Cebola
Segundo Lucianna Jardim, “a quercitina presente no alimento é um potencializador da função imune, prevenindo doenças virais e alérgicas. Use sempre em temperos ou crua na salada”.

Lichia
Rica em vitamina C, auxilia na imunidade e tem propriedades antiinflamatórias. “Recomenda-se o consumo de uma porção (cerca de 100 gramas) por dia”, diz a nutricionista Lucianna Jardim.

Gengibre
Lucianna Jardim explica que “o gengibre auxilia nas defesa do organismo porque possui importante ação bactericida, além de boas doses de vitamina B6 e C. Pode ser adicionado no suco (1 colher de sopa de gengibre ralado, duas vezes por dia) ou servir para fazer chá (2 colheres de sopa de gengibre fresco para 1 litro de água)”.

Cogumelo shitake
“O shitake é rico em lentinana, nutriente capaz de estimular a produção das células de defesa (macrófagos e linfócitos) e aumentar a imunidade. Utilizado em larga escala na comida japonesa, tem sido cada vez mais prescrito, graças aos seus aminoácidos e função imunoprotetora. Recomenda-se o consumo de cerca de 100g por dia”, orienta Lucianna.

Castanha-do-Pará
Segundo Lucianna Jardim, “a castanha-do-Pará é rica em selênio, poderoso antioxidante no combate aos radicais livres, que também turbina o sistema imunológico. Consumir uma ou duas por dia é suficiente para suprir as necessidades diárias de selênio”.

Batata yacon
De acordo com a nutricionista, “a batata yacon contém frutooligossacarídeos (FOS) importantes para a saúde intestinal, e consequentemente, para imunidade”.

Iogurte natural
“O iogurte natural é rico em lactobacilos com propriedades probióticas, que melhoram a flora intestinal e fortalecem o sistema imunológico. O alimento também ajuda no controle do sobrepeso e obesidade”, explica Lucianna.

Vegetais verde-escuros
“Brócolis, couve, couve de Bruxelas, rúcula e espinafre são fontes importantes de ácido fólico e vitaminas A, B6 e B12, que possuem papel na maturação das células imunes, ajudando na resistência às infecções”, diz a ortomolecular Anna Bordini. A nutricionista Lucianna Jardim completa: “Estes alimentos também são ricos em ácido fólico, nutriente que participa da formação de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo”.

Frutas cítricas
“Laranja, acerola, limão, kiwi, e morango são ricas em vitamina C, antioxidantes, fibras, flavonoides e propriedades anti-inflamatórias. As frutas cítricas aumentam a imunidade são importantes para a prevenção do câncer e doenças cardiovasculares”.

Outra forma de aumentar a imunidade

 

AUTO – HEMOTERAPIA

A técnica é simples: retira-se o sangue de uma veia comumente da prega do cotovelo e aplica-se no músculo, braço ou nádega, sem nada acrescentar ao sangue. O volume retirado varia de 5ml à 20ml, dependendo da gravidade da doença a ser tratada. O sangue, tecido orgânico, em contato com o músculo, tecido extra-vascular, desencadeia uma reação de rejeição do mesmo, estimulando assim o S.R.E. A medula óssea produz mais monócitos que vão colonizar os tecidos orgânicos e recebem então a denominação de macrófagos. Antes da aplicação do sangue, em média a contagem dos macrófagos gira em torno de 5%. Após a aplicação a taxa sobe e ao fim de 8h chega a 22%. Durante 5 dias permanece entre 20 e 22% para voltar aos 5% ao fim de 7 dias a partir a aplicação da auto-hemoterapia. A volta aos 5% ocorre quando não há sangue no músculo.

As doenças infecciosas, alérgicas, auto-imunes, os corpos estranhos como os cistos ovarianos, miomas, as obstruções de vasos sangüíneos são combatidas pelos macrófagos, que quadruplicados conseguem assim vencer estes estados patológicos ou pelo menos, abrandá-los. No caso particular das doenças autoimunes a auto agressão decorrente da perversão do Sistema Imunológico é desviada para o sangue aplicado no músculo, melhorando assim o paciente.

Saiba mais sobre a Auto-Hemoterapia >>> AQUI 

Imunidade

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: