Curando a ressaca naturalmente após bebedeira.

01 mar 2017 | By


Tem muita gente que ainda acredita que a melhor forma de se curar a ressaca é continuar bebendo” isso é um mito perigoso.
O excesso de bebida alcoólica aumenta, em um primeiro momento, a diurese e sudorese, provocando a perda de sais minerais. Isso é percebido através de sintomas como a dor de cabeça e fadiga. Então, é importante a reposição desses sais minerais com a ingestão de muita água e a água de coco, que possui uma composição bem semelhante ao soro fisiológico, além de ter boas doses de magnésio, potássio, sódio, cálcio, além da vitamina C.
Um passo importante é mesmo se hidratar com antecedência, ingerindo diariamente entre dois e três litros de líquido, de preferência água e sucos naturais.

É perigoso  o uso de paracetamol: “No caso de ressaca, não devemos fazer uso desse medicamento. O paracetamol deve ser consumido com parcimônia, uma vez que se trata de medicação tóxica ao fígado”.

Alimentos recomendados:

Grãos integrais: são ricos em vitamina B e ácidos, que são aliados do processo de desintoxicação produzido pelo fígado para se livrar dos excessos cometidos.

Soro caseiro: para quem tiver diarreia durante a ressaca,aprenda a fazer um soro caseiro. Comece diluindo em um copo d”água filtrada uma pitada de sal e três pitadas de açúcar. Misture bem e tome.O consumo deve ser diretamente proporcional ao número de evacuações. Porém, se o mal-estar não passar é indicado é procurar ajuda médica

Sopas e caldos: O consumo de alimentos leves e ricos em carboidratos. Dê preferência a sopas e caldos.

Sucos naturais: Se hidratar com antecedência, ingerindo diariamente entre dois e três litros de líquido, pode diminuir os efeitos da ressaca

Manga: a fruta é rica em vitamina A, antioxidante e imunológica, vitamina C, B1, combate a falta de apetite, B2, que favorece a digestão e o apetite normal e B5, cuja deficiência causa cansaço, irritabilidade, náuseas, dores abdominais

Melancia: contém 90% de água, de modo que favorece a hidratação, enquanto que sua fibra possui vitaminas do complexo B, C e A (na forma de betacaroteno); já o potássio favorece os músculos e equilibra a quantidade de água na célula, controlando assim o inchaço.

Melão: por ser composto por 90% de água, favorece principalmente a hidratação, além de agir como antioxidante. Tem em suas fibras um forte aliado para a recuperação intestinal, além de minerais como fósforo e potássio, que eliminam toxinas.

Abacaxi: é rico em vitaminas A, B e C, fósforo, cálcio e potássio. É a melhor indicação para problemas de má digestão, para o aparelho urinário e a pressão arterial. A bromelina, enzima presente no abacaxi, ajuda na digestão, e ainda pode ser eficaz para dissolver coágulos sanguíneos.

Couve: possui vitamina C e B6, que produzem ação anti-inflamatória, além de ferro e cálcio. “Rica em fibras, favorece o trânsito intestinal e também atua na defesa do sistema digestivo.

Brócolis: O vegetal é rico em vitaminas A e C, em sais minerais, como potássio, cálcio, ferro, selênio e cromo, e também em fibras. Possui propriedade antioxidante e ajuda a reduzir o colesterol

Oleaginosas: nozes, castanhas e macadâmias são bem-vindas, contêm ácidos graxos monoinsaturados que atuam protegendo a parede das artérias, que sofre com o aumento de toxinas no sangue. São ótimas fontes de vitamina E, nutriente antioxidante.

Abacate: contém ácidos graxos monoinsaturados que atuam protegendo a parede das artérias, que sofre com o aumento de toxinas no sangue.

Gengibre: contém gingerol, ingrediente bioativo que estimula a secreção do suco gástrico e tem efeito hepatoprotetor, ou seja, protege o fígado. Também é antiemético (reduz enjoos e náuseas). Suprime a ação das prostaglandinas, substâncias envolvidas nos processos inflamatórios. O gengibre pode ser consumido cru, em lascas, em chás, pó diluído em sucos ou cristais.

Chá: chás como o de alecrim, que é antioxidante. O de hortelã, que é anti-inflamatório, favorece a digestão e reduz a flatulência, e o de de boldo, que é digestivo e hepatoprotetor (protege o fígado)

Água de coco: a água de coco hidrata e repõe minerais, que é importante porque o álcool tem ação diurética e faz com que a pessoa perca muito potássio e sódio

Refrigerante de limão: estimula a produção da enzima ALDH, que metaboliza o álcool ingerido. Além disso, os refrigerantes são feitos com água e açúcar, que são essenciais para quem está com ressaca.

Banana: possui potássio e sódio, e diminui o cansaço excessivo e as dores musculares. Por conter alta concentração de potássio, favorece a reposição deste elemento, perdido com o efeito diurético do álcool. Sua fibra também é uma boa aliada na regulação intestinal, enquanto que o magnésio é eficaz em câimbras musculares.

Laranja: possui potássio e sódio e diminui as câimbras, o cansaço excessivo e as dores musculares.

Macarrão: Massas são alimentos ricos em carboidratos que, após serem digeridos, se transformam em açúcar para o corpo

Bolos e pães: são alimentos ricos em carboidratos que, após serem digeridos, se transformam em açúcar para o corpo.

Ovo: o corpo produz acetaldeído, uma substância tóxica, quando detecta a presença de álcool no organismo. Em seguida, produz glutationa para evitar a intoxicação.O ovo é rico na proteína cisteína, que contém glutationa, portanto, um aliado na cura da ressaca.

Tomate: rico em vitamina C, glutationa e potássio, o que ajuda a hidratar o corpo.

Espinafre:  o espinafre contém ácido fólico, vitamina C e enxofre, nutrientes que ajudam a eliminar os sintomas da ressaca, pois colaboram com a limpeza do fígado. O espinafre contém vitaminas A, complexo B, minerais como, ferro, fósforo, cálcio, folatos e betacoroteno. “Favorece o trânsito intestinal, o sistema imunitário e também melhora a concentração e habilidades motoras.

Atum em lata: ajuda a repor diversos minerais que o corpo perde quando se ingere álcool.

Leite: Comecemos com uma “cura” instantânea: um copo de leite. Talvez prejudique sua reputação baladeira, mas ninguém precisa ficar sabendo. “É rico em cálcio e costuma aliviar a gastrite provocada pelo álcool. Também contém cisteína, um aminoácido que digere o acetaldeído produzido quando o corpo tenta processar o álcool ingerido.
Iogurte natural também serve. “É rico em vitamina B5” toda ajuda de vitaminas e minerais são bem-vindas nesses casos.

Aspargos:Dê uma oportunidade a esse triste frasco esquecido no fundo de despensa. Aspargos,saboroso, nutritivo e inimigo obstinado do mal-estar alcoólico. Um estudo da Universidade Nacional Jeju (Coreia do Sul) concluiu que os aminoácidos e minerais dos aspargos podem aliviar a ressaca e protegem as células do fígado contra as toxinas. Esse broto magricela tem propriedades antifúngicas, diuréticas e anti-inflamatórias.
Pure de batatas, peixes cozido, iogurtes, agua alcalina, chás, agua de côco e muito descanso na quarta-feira de cinzas são as melhores pedidas.
Karin Honorato ensina a receita de um suco – à base de beterraba, cenoura, maça, hortelã e gengibre – para amenizar os efeitos do álcool. “A beterraba possui a betaína, que ajuda a desintoxicar o fígado. A maçã e a cenoura, além de terem fibras que mantêm a glicose por mais tempo no sangue, ajudam a dar uma saciedade, sem deixar o organismo pesado. O hortelã, que é digestivo, ajuda a desintoxicar. E o gengibre, estimula a circulação e leva para as células, rapidamente, os nutrientes que o organismo está precisando”, esclarece. Bata todos esses ingredientes crus, na quantidade desejada, adicionando água ou água de coco. Segundo a nutricionista, o ideal é ingerir o suco assim que for feito.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: