Espécies de abelhas brasileiras

17 mar 2017 | By

Apicultura é a criação de abelhas para produção de mel, esta prática vem de a muito tempo desde a época dos egípcios, que documentaram essa prática pela primeira vez no ano 2600 a.C, nas inscrições funerárias nas pirâmides. Hoje em dia nos apiários têm-se uns aparatos bem modernos para coleta de mel. Antigamente era pouco rendosa, pois era realizada em colônias fixas de barro, madeira ou palha, apresentando assim dificuldades para a coleta do mel.  Existem abelhas de muitas espécies e nem todas nem todas vivem em colônias. A maioria são abelhas solitárias, que constroem seu ninho em árvores ocas ou embaixo da terra.

Já as abelhas sociais vivem juntas em grandes colônias de indivíduos e seus ninhos são chamados colméias.
Seu corpo que raramente ultrapassa 3,75 cm de comprimento é constituído de três partes : cabeça, tórax e abdômen. No tórax encontram-se dois pares de asas e três pares de pernas. As fêmeas possuem um ovopositor na extremidade do abdômen, que é utilizado para depositar os ovos e contém um ferrão para picar os inimigos predadores.

As abelhas produtoras de mel organizam-se em três classes principais: as operárias, que providenciam a alimentação, a rainha que pões ovos e o zangão, que se acasala com a rainha. Uma colônia de tamanho médio compreende uma rainha e cerca de cem zangões e mais ou menos sessenta e cinco mil operárias.

Mel não é tudo igual e no Brasil existe uma infinidade de tipos com diferentes benefícios para saúde O mel foi a primeira substância adoçante conhecida da Antiguidade segundo a Bíblia era uma das duas dádivas da Terra da Promissão (a outra era o leite).

Os 12 dos principais tipos de mel existentes no Brasil e suas funcionalidades.

Mel da abelha Apis mellifera: Mel claro, muito valorizado pelos consumidores brasileiros devido ao aroma e coloração. Encontrado em São Paulo e Minas Gerais.
  Eucalipto: Mel relativamente escuro, rico em minerais, geralmente utilizado como expectorante. Produzido nas regiões Sul e Sudeste.
  Cipó-uva: Mel transparente, costuma agradar os consumidores por sua coloração e aroma, predominantemente produzido em áreas de Cerrado, em Minas Gerais.
  Bracatinga: Mel não-floral ou melato, produzido a partir de cochonilhas, insetos sugadores que secretam um líquido açucarado no tronco da Bracatinga, árvore nativa das regiões mais frias do Sul do Brasil. Sabor muito autêntico e peculiar, muito escuro e rico em minerais. É possível produzir mel das flores também, geralmente com sabor bem amargo.

Mel das abelhas sem ferrão:
  Uruçu: Mel claro e amarelado, levemente ácido, produzido no Nordeste brasileiro.
Mandaçaia: Mel claro, às vezes transparente, não é ácido, com sabor característico do material de construção usado nas colônias, produzido no Sul e Sudeste.
  Jataí: Mel claro, levemente ácido, muito usado na cultura popular por suas propriedades medicinais, produzido no Brasil todo.
  Uruçu-amarela: Mel muito ácido, produzido no Pará, considerado o melhor mel do Brasil no concurso de mel organizado pela Ame-Rio nesse ano.
  Tiúba ou uruçu cinzenta: Mel muito doce, geralmente transparente, produzido no Maranhã e Pará.
  Borá: Mel bastante peculiar, é levemente salgado e possui aroma que lembra o sabor de queijo, ótimo para temperar saladas. Produzido na região Sudeste;
  Jandaíra: Mel levemente ácido, usado na cultura nordestina como produto medicinal, produzido na região do Semiárido do Rio Grande do Norte.
  Mandaguari: Mel levemente amargo e mais viscoso, produzido no Sul e Sudeste.

Agora mostraremos algumas espécies de abelhas:
Abelha-Limão (Lestrimelitta limao)
Boca-de-Sapo (Partamona helleri)
Borá (Tetragona clavipes)
Guarupu (Melipona bicolor)
Guiruçu (Schwarziana quadripunctata)
Iraí (Nannotrigona testaceicornes)
Irapuã (Trigona spinipes)
Jataí (Tetragonisca angustula)
Jataí-da-Terra (Paratrigona subnuda)
Lambe-Olhos (Leurotrigona muelleri)
Mandaçaia (Melipona mandacaia)
Manduri (Melipona marginata)
Marmelada Amarela (Frieseomelitta varia)
Mirim-Preguiça (Friesella Schrottkyi)
Mombucão (Cephalotrigona capitata)
Tataíra (Oxytrigona tataira tataira)
Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)
Uruçu (Melipona scutellaris)

ESPÉCIES DE ABELHAS COM FERRÃO

Abelha-Africana (Apis mellifera scutellata)
Abelhas Africanizadas (Africana+Europeia)
Abelha-Carnica (Apis mellifera carnica)
Abelha-Caucasiana (Apis mellifera caucasica)
Abelha-Europeia (Apis mellifera mellifera)
Abelha-Italiana (Apis mellifera ligustica)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: