Gastroplastia Endoscópica novo procedimento para obesos

18 mar 2017 | By

 

Gastroplastia Endoscópica Sleeve: Procedimento indicado para quem tem IMC acima de 30 (Obesidade grau I), é uma “cirurgia bariátrica” tipo Sleeve por endoscopia. Nesta modalidade, o estômago tem o seu volume significativamente diminuído (são dados pontos no estômago por dentro, fazendo com que ele “murche”. Ele adquire a forma de um tubo, fica tunelizado, comportando uma quantidade de comida infinitamente menor).
O procedimento é realizado integralmente por endoscopia, sem cortes, com recuperação imediata e alta no mesmo dia.
Ao contrário da bariátrica tradicional, não há cortes. Um endoscópio flexível com uma câmera de alta resolução e uma agulha em sua ponta é inserido pela boca até chegar ao estômago. Então, o órgão é “grampeado” e reduzido por suturas. A operação dura uma hora (trinta minutos menos que a convencional) e a anestesia é geral, como acontece na cirurgia tradicional. Os riscos pós-operatórios, como sangramento e perfuração, no entanto, são menores e a recuperação, mais rápida.
Quem pode realizar o procedimento?
Para estar apto ao procedimento, o paciente deve apresentar o IMC mínimo de 30 (obesidade grau I), não havendo limite máximo de IMC. Portanto, o procedimento está indicado para todos os graus de obesidade (I, II e III). Está indicado também para pacientes que já realizaram cirurgia bariátrica no passado e voltaram a ganhar peso (reganho de pelo menos 10% do peso mínimo alcançado após a cirurgia bariátrica).
Onde o procedimento é feito?
O procedimento é realizado em ambiente hospitalar, porém a alta acontece no mesmo dia.
O que eu vou sentir depois?
Após o procedimento, o paciente pode apresentar um pouco de dor abdominal, sensação de gases e enjoos/ vômitos, porém os sintomas desaparecem em 24 horas.
Qual a estimativa de perda de peso?
Espera-se uma perda de 20 a 30% do peso inicial em média, e o que é melhor, os resultados são duradouros, pois o estômago fica definitivamente pequeno.

Quem está por trás dessa técnica no país é o endoscópista bariátrico Manoel dos Passos Galvão Neto, 51, considerado uma das maiores autoridades mundiais no assunto. Ele desenvolveu a técnica há cinco anos com uma equipe de sete médicos americanos, espanhóis, panamenhos e dominicanos na Florida International University, em Miami, e no Hospital Universitário Sanchinarro, em Madri.
Desde então, 2 000 cirurgias foram realizadas em doze países, entre eles Alemanha e Espanha. O procedimento só chegou agora ao Brasil porque a autorização demorou a sair. “Infelizmente, temos uma regulação burocrática e lenta por aqui”, lamenta Galvão Neto. Nascido em Salvador, na Bahia, Galvão Neto mora há quinze anos em São Paulo, onde mantém uma clínica, a Gastro Obeso Center, nos Jardins.
É também coordenador do serviço de endoscopia bariátrica do Hospital 9 de Julho, em Cerqueira César, dá aulas na Faculdade de Medicina do ABC e na universidade da Flórida — vai para lá seis vezes por ano. Costuma ainda viajar quase todos os meses ao exterior para dar treinamentos sobre o tema.
O preço estimado ficará em torno de 17 000 reais, 30% mais baixo que o das bariátricas tradicionais. “Nossa ideia também é levar a cirurgia à rede pública”, diz Eduardo Grecco, coordenador do serviço de endoscopia da FMABC e um dos integrantes do grupo brasileiro que trabalha com Galvão. A decisão de liberar a nova operação, no entanto, depende da aprovação de técnicos do Sistema Único de Saúde (SUS).

Fonte: Bariátrica Procedimento  

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: