Soja, seu veneno diário, substitua imediatamente

21 mar 2017 | By

O que a soja faz de bem para sua saúde?

A ingestão deve ser associada a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis”. Além do Brasil, outros dez países autorizam alegações de saúde similares, relacionando os benefícios da proteína de soja à redução do colesterol e à saúde do coração.
Os principais atributos da soja se devem a sua composição. O grão apresenta três nutrientes importantes: as isoflavonas, as fibras e as proteínas. As isoflavonas têm impacto positivo sobre o colesterol, doenças cardiovasculares e sintomas da menopausa, Já as proteínas são responsáveis pelo controle da obesidade, pois auxiliam no processo de perda de peso, preservando a massa magra corporal e propiciando a sensação de saciedade. Por último: as fibras, além de reduzir a taxa de glicemia, auxiliam o bom funcionamento intestinal. Convencida dos reconhecidos benefícios que a soja traz para o organismo,voce pode, sim, ter seus problemas de saúde amenizados ao comer soja num curto espaço de tempo ou esporadicamente, mas nao faça da soja uso acima de 30 gramas diárias, na medida correta voce poderá ter alguns beneficios. (Muito pouco não acha?)

Os males da soja.

A soja é o mais protéico de todos os feijões, por isso o mais tóxico. Hoje existem muitos estudos esclarecendo vários pontos.
Um: a soja contém altos níveis de ácido fítico, ou fitatos, que reduzem a assimilação de cálcio, magnésio, cobre, ferro e zinco em adultos e crianças, prejudicando a saúde e o crescimento. E os métodos convencionais, como deixar de molho, germinar os grãos ou cozinhar longamente em fogo baixo, não neutralizam o ácido fítico da soja; somente a fermentação tem esse poder.
Dois: a soja contém inibidores de tripsina que interferem na digestão das proteínas e podem causar distúrbios pancreáticos e retardo no crescimento.
Três: desde 1953 é conhecido o impacto negativo das isoflavonas sobre a saúde humana. A esse respeito, você encontra uma lista de 150 estudos científicos

Existe todo um imaginário popular em torno das comidas “saudáveis”, mas é sempre difícil medir até onde vão esses benefícios. A sabedoria popular muda de pessoa para pessoa, ninguém consegue dizer o que faz bem e o que faz mal – todos os alimentos parecem ter contra-indicações. Estranhamente, nunca tinha visto alguém falar mal da soja.
A heroína dos grãos é tida como o arauto da saúde, o algoz de todos os males da alimentação e, por isso, muitas vezes figura nas dietas e planos alimentares. Ao menos, essa era a minha percepção e de muitas com quem já conversei sobre o assunto. Até eu ler um artigo que mostra que a realidade não é bem assim.
O Dr. Alexandre Feldman é clínico geral e especialista em distúrbios como a enxaqueca, tendo algumas publicações na área. Esse artigo joga uma luz nessa febre que vemos hoje em dia, onde pessoas colocam soja onde podem, afirmando que “é uma ótima fonte de proteínas” ou então que “é uma sabedoria milenar oriental”, coisas do gênero.
Sim, de fato algumas culturas usam muita soja, mas geralmente a forma “saudável” dela: molhos (shoyu) e missô, derivados a partir de um processo de fermentação. O grão da soja é rico em substâncias que inibem a enzima tripsina, que se bem me lembro das aulas de Biologia do colégio, é essencial na digestão pois é responsável por quebrar as proteínas. Sem digerir bem as proteínas, o organismo fica vulnerável a doenças.
Além dessas substâncias, a soja contém hemaglutinina, que aumenta a viscosidade do sangue e a probabilidade de coagulação. Também encontramos fitatos ou ácidos fíticos (presentes em todas as sementes), que impedem a absorção de substâncias vitais como magésio, ferro, cálcio e zinco. Os problemas que podem surgir são vários: enxaquecas, osteoporose e anemia.

Aparentemente, o único modo de se livrar totalmente dessas substâncias é através da fermentação, de onde saem o shoyu e o missô. Nem o queijo mais hype das dietas, o tofu, está livre. No seu preparo, as substâncias nocivas não são retiradas por completo, e recomenda-se lavar bem a peça antes de comer.
O leite de soja, então, parece ser dos piores: o preparo destrói as proteínas, não elimina os antinutrientes e utiliza substâncias a base de petróleo, cancerígenas.
Não sou nem um pouco adepto de teorias conspiratórias, mas é interessante observar que a “febre da soja” e a estranha falta de discussão sobre seus males coincide com essa que é há anos a maior industria de agronegócio do Brasil. Sendo que 80% de sua produção se concentra na região sul.

Plantação de soja
A soja é um alimento como todos os outros, existem inúmeros artigos falando bem desta substância, mas de tempo em tempo surgem artigos e pesquisas afirmando que a soja é nociva para a saúde. Se ela é tão boa assim, porque alguns pessoas teimam em difamar esse alimento ?
A razão para a soja ser tão má é devido as suas duas isoflavonas: genisteína e daidzeína. Essas duas vilãs se amarram aos nossos receptores de estrogênio. Existem dois receptores, o alfa e o beta. O alfa é o receptor que geralmente é associado aos tumores de mama, aumento de gordura corporal, retenção de líquidos, etc. O receptor beta não é algo que devemos nos preocupar.
Infelizmente as duas isoflavonas da soja podem gerar diversos efeitos colaterais como afetar a produção de testosterona, a tiróide, atrapalhar o crescimento muscular e até mesmo prejudicar a sua saúde.

Lembro de alguns anos atrás meu pai comentar “Pra que plantar tanta soja? Quem é que come soja?”. Pois é, pelo jeito muita gente come, e o perigo pode ser grande para aqueles que abusam do grão, seja para emagrecer, para basear uma dieta vegetariana ou simplesmente para ter uma alimentação mais saudável de acordo com a Capricho.
Um estudo mostrou que indivíduos que ingeriram soja por um curto período de tempo, tiveram uma queda na testosterona de até 76%. Em outro estudo, foi encontrado uma associação inversa entre consumo de proteína de soja e alteração nos níveis de testosterona em homens japoneses.
Em mais um estudo usando homens adultos e sadios foi usada uma dieta contendo soja e outra contendo proteína animal. No final do estudo, os níveis de testosterona estavam significativamente baixos nos indivíduos que fizeram a dieta contendo soja e ainda tiveram uma queda de 7% na testosterona livre, depois da dieta. Em uma experiência com ratos, os níveis de testosterona e LH também cairam.
O principal apelo da soja é que ela pode reduzir os riscos de doenças no coração, através da diminuição do colesterol e triglicerídeos. Pesquisas comprovaram que a proteína da soja realmente diminuí o colesterol, porém somente o HDL, que é o colesterol bom!
A proteína da soja quando comparada com as líderes de mercado: Whey e Caseína. Também não se saí muito bem, em questão de aumentar a síntese proteíca e da quebra de proteína, a Soja é muito inferior.

Hipertrofia

Um comentário em “Soja, seu veneno diário, substitua imediatamente

  1. eu não sabia que fazia tanto mau para algumas pessoas com questões de saúde em especial.
    bacana essa matéria parabéns.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: